Terrorista pediu para identificarem professor antes de decapitá-lo

O terrorista que decapitou um professor do lado de fora de uma escola em Conflans Saint-Honorine, perto de Paris, abordou alunos na rua e pediu que identificassem sua vítima, segundo o promotor responsável pelo caso.

A polícia matou a tiros o assassino de 18 anos, de origem tchetchena, minutos depois que ele assassinou o professor Samuel Paty, de 47 anos, em plena luz do dia na última sexta-feira.

O crime foi classificado como “atentado islâmico caracterizado” e ocorreu porque Paty havia mostrado a seus alunos caricaturas de Maomé publicadas no Charlie Hebdo.

Leia mais: Marco Aurélio e o caso André do Rap: como a lei (e a mais alta corte do país) pode ser usada para libertar um criminoso considerado perigoso?
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 37 comentários
TOPO