Bancos se adaptam à Copa

Os bancos vão atender em horário diferenciado nos dias de jogo do Brasil na Copa.

A Febraban alega que a mudança é necessária “por motivos de segurança das agências e de transporte de valores”.

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Lewandonoroskówski disse:

    Enquanto rola a Copa, a Pátria derrete.

Ler comentários
  1. Lewandonoroskówski disse:

    Tem mais é que perder e sair logo dessa merda de copa, só quem ganha é a Globo que já disparou o processo de Galvãobuenização cerebral.

  2. Moacyr disse:

    O Brasil não vai jogar. O Brasil vai apenas parar, a fim de ver alguns mercenários ganharem mais alguns milhões. Podemos trabalhar e ver o resultado na Internet.

  3. Brutus disse:

    Meu deus, quanta besteirada! Alguém já passou a Copa em outro país? Eu já passei duas Copas (1990 e 2010) em países europeus. Eles param, tal como aqui, em dias dos jogos de suas respectivas seleções. É interessante ver gente que se diz de direita repetindo argumentos dos comunistas.

    1. Então porque só aqui é conhecido por pátria de chuteiras???

    2. Porque só aqui é conhecido por pátria de chuteiras??

  4. Rama lho disse:

    Deveriam é se preocupar com a enormidade de abusos das empresas de cobrança.

  5. Paulo disse:

    Cada vez ficamos um país menos sério. Tudo combinado para 'forçar' estatísticas de acompanhamento dos jogos.

  6. Odeio futebol disse:

    Os bancos vão roubar menos da população endividada nos dias de futebol??? Eles des$contam depoi$!

  7. Carlos disse:

    Que os bancos fechem e que só abram quando pararem de roubar também...

  8. Henrique Medeiros disse:

    Antagonistas na copa Patrocínio de... ? E aí, departamento comercial, vamos rentabilizar??

  9. Copa do Mundo é perda de tempo! disse:

    Quer apostar que vai ficar mais facil para os ladrões?

  10. O Estado de S.Paulo | Editorial | 10.06.18 | 1/2 disse:

    A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) mostrou que sabe explorar bem a relativa desatenção da opinião pública paulista, mais voltada para as questões nacionais e municipais do que para a pauta do Palácio 9 de Julho, para aprovar sem alarde mais um projeto controvertido em razão do impacto causado ao Tesouro do Estado no momento em que o tema da responsabilidade fiscal está na ordem do dia em todo o País. . A decisão, assim, veio descolada do anseio da sociedade por mais racionalidade na administração dos escassos recursos públicos e pelo fim dos privilégios de uma casta de servidores. . A aprovação da PEC 5/2016 contou com o apoio de depu.tados de todas as bancadas na Alesp, como ilustra o alargado placar de votação.

  11. O Estado de S.Paulo | Editorial | 10.06.18 | 2/2 disse:

    Mais uma vez, prevaleceu a força das corporações de servidores sobre o interesse público. Não por acaso, as galerias do plenário da Alesp estavam completamente ocupadas por agentes fiscais de rendas do Estado, que comemoraram com entusiasmo a aprovação da PEC. . E os valores podem subir. Há duas semanas, a Câmara Municipal aprovou um projeto de lei que concede reajuste de até 77% em uma das gratificações recebidas por parte dos servidores. . Diante do alheamento coletivo é pertinente indagar: para quem legislam os depu.tados estaduais e vereadores? Que interesses defendem no exercício dos mandatos que lhes foram outorgados? Não parece ser o interesse público.