Como torcer pelo Brasil no ambiente de trabalho

Profissionais de recursos humanos alertam que é preciso consultar as normas das empresas antes de decidir enfeitar mesas e ir trabalhar com a camiseta do Brasil durante a Copa do Mundo, registra o G1.

“Torcer no ambiente de trabalho é algo semelhante a ir a uma confraternização da empresa, ou seja, é preciso evitar o uso de vocabulário inadequado, brincadeiras excessivas, expressões pejorativas ou preconceituosas aos jogadores. O profissional estará sendo observado o tempo todo”, disse o consultor de carreira Roberto Recinella.

“Sempre tem a percepção das pessoas. O que é normal para algumas pode ser ofensivo para outras. Por exemplo, mulheres podem se constranger com palavrões. Da mesma forma, em empresas mais tradicionais, pode não pegar bem falar palavrão”, afirmou Renato Grinberg, especialista em liderança e gestão de empresas.

A equipe de O Antagonista tentará se controlar.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 36 comentários
  1. Se vc trabalha em uma empresa e não pode torcer de verdade pela seleção, com tudo que tem direito, inclusive camisa, xingar juiz e bandeirinha, torcer a valer na hora do gol, então está muito na hora de repensar se vale realmente a pena trabalhar em um ambiente assim, onde vc não pode ser vc de verdade. E viva a hipocrisia!

  2. Haverá multa, prisões e confisco de camisetas e vuvuzelas? É óbvio que com a proximidade das eleições o objetivo dessa palhaçada é tentar diminuir o senso de patriotismo no país.

  3. Seu Rubens disse:
    13 de junho de 2018 às 12:16

    Essa palhaçada toda sobre a Copa não tem ABSOLUTAMENTE NADA a ver com ambiente de trabalho.
    Esse mi mi mi todo é só por que os esquerdopatas não querem ninguém usando a camisa da seleção, a quem os doentes chamam de golpistas, paneleiros, etc.
    É bom deixar isso bem claro.
    obs.: já que eles não gostam, vou usar a minha, mesmo que a seleção perca todos os jogos. Só prá sacanear.
    ————————–
    E eu também.

  4. Antigamente Copa eram 3 semanas apenas com as melhores seleções.
    Hoje em dia são quase 2 meses com Honduras, Zâmbia e Quirguistão.
    O negócio virou uma festa do politicamente correto.
    Parece até um episódio de Dora, a Aventureira.

    1. Quatro semanas. Começa em 14/06 e termina em 15/07. Deixa de falar bobagem. Brasil, Alemanha e Itália tem juntos 13 dos 20 títulos de campeão. Tem que deixar mais times participar.

  5. Nas copas passadas nem o G1 nem a Globo e nem o UOL disseram nada sobre isso.
    Muito estranho que agora resolvam problematizar até sobre torcer pela seleção.
    Essa esquerda politicamente correta que infecta nossa mídia é mesmo uma grande booost@@@

  6. “Sempre tem a percepção das pessoas. O que é normal para algumas pode ser ofensivo para outras. Por exemplo, mulheres podem se constranger com palavrões. Da mesma forma, em empresas mais tradicionais, pode não pegar bem falar palavrão”, afirmou Renato Grinberg, especialista em liderança e gestão de empresas.

    Por isso mesmo que nessas tais “empresas mais tradicionais” os palavrões somente são permitidos em reservadas reuniões de diretoria com serviços a la carte e prontos atendimentos profissionais de secretinas ilustres.

  7. Essa palhaçada toda sobre a Copa não tem ABSOLUTAMENTE NADA a ver com ambiente de trabalho.
    Esse mi mi mi todo é só por que os esquerdopatas não querem ninguém usando a camisa da seleção, a quem os doentes chamam de golpistas, paneleiros, etc.
    É bom deixar isso bem claro.
    obs.: já que eles não gostam, vou usar a minha, mesmo que a seleção perca todos os jogos. Só prá sacanear.

  8. Não se preocupem com esses detalhes, mais de 20 milhões de brasileiros estão desempregados e assistirão aos jogos na tv do boteco, tomando uma cachaça para tentar se esquecer da realidade.

  9. Interessante o G1 falar sobre isso justamente agora que a esquerda está demonizando quem usa a camisa amarelinha. Na Copa passada, com Dilma no poder, eles só falavam em festa e futebol e ignoravam solenemente as manifestações contra a Copa que se faziam do lado de fora dos estádios.
    Matéria com claro viés ideológico. Uma verdadeira merdh@, prá resumir.

  10. “é preciso evitar o uso de vocabulário inadequado, brincadeiras excessivas, expressões pejorativas ou preconceituosas aos jogadores”
    – Ei, seu juiz! O senhor está equivocado!!
    – Mas que jogador desqualificado!
    – Gol contra!! Que desagradável!!
    – E esse gol de mão, seu juiz? Viola as regras do esporte!!!
    .
    Cara, não é possível… Tem gente que paga pra ouvir conselhos desse cara? Faça-me o favor, Brasil… Tome tenência.

  11. Mulheres podem se ofender com palavrões ? Em que século esse senhor escreveu isso ? Em pleno Me Too ? Pelamor !! Reseta o cérebro e vê se faz o upgrade pra versão 2018 …

  12. Sou estudante de Administração e, então, estão ensinando tudo errado, pois as novas relações de trabalho afirmam ao contrário, sem exageros, óbvio, num caso como a copa! Não são mais funcionários, são colaboradores, parceiros da empresa e as normas rígidas de convivência são encaradas como práticas do passado, arcaicas! Empresas engessadas no conceito patrão/empregado não têm mais espaço ou são vistas como não profissionais! Não será bem assim, não!

    1. Afff…palavrinha ESCROTA. “Colaboradores”….precisamos pegar o IMBECIL que inventou essa e bater nele com gato morto até ele miar.
      É FUNCIONÁRIO. É EMPREGADO.
      CATZO !

    2. vai lá e grita pula na mesa xinga bem alto mesmo e vamos ver se as novas relações de trabalho na empresa que você irá depois de ser mandado embora será igual….Estas teorias e práticas são no primeiro mundo meu amigo…Isso só chegará aqui quando acabar a CLT…mas arcaico que isso é ela e vcs modernos não falam nada…