“Os políticos vão vestir e se esconder atrás da camisa nacional”

Ishaan Tharoor, articulista de assuntos internacionais do Washington Post, resume para os americanos o espírito da Copa do Mundo, cuja edição russa começou hoje:

“‘O tempo é aquela inconveniência irritante entre as partidas de futebol.’ Essa é uma frase quase certamente apócrifa, geralmente atribuída ao filósofo franco-argelino – e ao hábil goleiro na escola – Albert Camus. Mas seja qual for sua proveniência, é verdade que a Copa do Mundo está em andamento na Rússia.

Nenhum evento atrai tão grande e extasiado público quanto este torneio de 32 seleções nacionais de futebol – sim, amigos no exterior, o Washington Post manda que eu escreva ‘futebol’ [no original, ‘soccer’, em vez de ‘football’, que remete ao futebol americano]. E não há um único evento que capture de forma tão dramática a imaginação global. Para o próximo mês, em todo o planeta, o interesse em acontecimentos não relacionados à Copa do Mundo vai secar, trabalhadores vão faltar o trabalho, os políticos vão vestir e se esconder atrás da camisa nacional, e o tempo vai ficar parado – pelo menos por 90 minutos de cada vez.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

  1. Por incrível que pareça, os americanos não conseguiram dominar a arte do futebol. Tampouco conseguiram exportar o tal futebol americano. Talvez sejam essas questões que os fazem estranhar tanto as tais Copas do Mundo. Rs

Ler mais 4 comentários
  1. Por incrível que pareça, os americanos não conseguiram dominar a arte do futebol. Tampouco conseguiram exportar o tal futebol americano. Talvez sejam essas questões que os fazem estranhar tanto as tais Copas do Mundo. Rs