‘Show Racism The Red Card’

Os jogadores da Inglaterra posaram para uma foto lançando uma campanha contra o racismo na Copa da Rússia.

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Veki disse:

    Show racism the red card, give Islam a free pass! Assim o disse a Seleção do Reino Unido do Arabistão, que se brexitou da Eurábia mas não tomou jeito...

Ler comentários
  1. Raphs001 disse:

    Se baterem bola igual fazem militância são fortes concorrentes à levarem o caneco.

  2. Carla disse:

    Que coisa mais ridícula. Sei que foram obrigados a posar para isso... mas parecem 23 bibas posando de Social Justice Warrior. Nada pode ser mais ridículo e emasculante que isso!

  3. De saco cheio disse:

    Muito racista, esse futebol: um país europeu com 11 negros, de 27 jogadores no time. E branco (europeu) ali tem uns 6, porque o resto é tudo mestiço. Esse papo de racismo já deu no saco! Ainda mais no futebol, onde Pelé é o rei.

  4. Ticu Soares disse:

    No futebol não existe racismo, ou vc é bom, ou é perna de pau, reparem, quem acaba sendo alvo de racismo, ou é perna de pau, ou está sendo ostilizado pela torcida adversária.

  5. Ticu Soares disse:

    O politicamente correto faz tontos como esses jogadores em ajudar a ampliar as pautas esquerdistas. Tudo que é RED, tô fora!!

  6. Lex Magister disse:

    Impressão minha ou os brancos do time foram photoshopados para parecerem mais morenos? "Decifra-me ou te devoro"... a civilização europeia beira o indecifrável, e talvez não haja mais tempo

  7. Carlos disse:

    Vão gerar efeito oposto do sisudo povo russo...

  8. Pelo sistema de cotas disse:

    Deveriam instituir cotas para negros no 1° mundo! Por que não o fazem?

  9. Claudio Cesar Custodio Junior disse:

    Sem comentário. Quer acabar com o racismo, é só não falar sobre o assunto. Chega de MIMIMI

  10. Lewandonoroskówski disse:

    Não creio que os russos deem qualquer atenção a questões sociais do ocidente.

  11. Ana Carla Abrão | Estadão | 12.06.18 disse:

    Gastamos em 2016 o equivalente a 39% do PIB com o custeio da máquina. Patamar comparável ao que gastam França, Inglaterra ou Canadá. Por outro lado, detemos as piores colocações nos rankings globais de qualidade dos serviços públicos. Saúde, educação, segurança pública e sistema judiciário não superam os 45% de satisfação, nos colocando na lanterna dentre os países pesquisados pela OCDE. . O colapso fiscal nos coloca ainda como motivação adicional à urgência de se reduzir ineficiência e gastos com a máquina, racionalizando leis e processos que criaram um monstro que mais pesa do que resolve, que menos serve e muito se serve. Não há caminho para fora da crise fiscal sem uma reforma profunda dessa estrutura inchada e disfuncional.