3 PERGUNTAS DOS CREDORES À OI (3)

Outra questão incômoda para os credores da Oi. Pelo plano proposto, os atuais controladores (a Pharol, que representa a Portugal Telecom, e Nelson Tanure) não terão sua participação acionária reduzida, como ocorre nesses casos em que os credores aceitam injetar dinheiro novo, em troca de uma fatia da empresa.

A situação privilegia os atuais sócios majoritários em mais de um sentido: caso a empresa se recupere, suas ações valerão muito mais. Na prática, significa que não serão punidos por quebrarem a Oi e, ainda por cima, sairão com um baita lucro.

Por isso, os credores perguntaram à Oi o que, afinal de contas, os controladores impuseram à empresa, para que tornassem suas ações intocáveis.