A explicação para o desassossego

Leiam, por favor, este trecho da coluna de hoje de Vinicius Torres Freire na Folha:

“Pode ser que, premido pelo ‘teto’, o governo gaste de modo mais eficiente. É uma hipótese com um quê de realismo fantástico. De qualquer modo, é difícil de fazer. Caso seja feito, o será aos poucos. De resto, ora não há nenhum programa sistemático de aumento de eficiência.

E daí? Daí que o plano fiscal de Temer, o ‘teto’, é incremental, um ajuste fiscal a princípio suave, dado o tamanho da nossa ruína. Mas, a certa altura, vai doer, mais ou menos como na história do sapo que morre na água que esquenta aos poucos.

Vai doer ainda mais caso não se tomem providências complementares de controle de despesas. No limite, o problema seria resolvido apenas com privatização parcial de serviços públicos.”

A conclusão é: “Quanto maior o relaxamento do ‘teto’ agora, mais improvável será a retomada do crescimento”.

Esse é o motivo do nosso desassossego.