A filosofia do BC

Segundo o Valor, ao ser questionado sobre um possível excesso de subjetividade nas decisões do Banco Central, seu diretor de Política Econômica, Carlos Viana, afirmou que essa subjetividade é “calcada em evidências concretas dos fatores” e não uma “subjetividade per se.”

Já que Viana filosofou, nunca é demais perguntar: quem garante que o BC interpreta as evidências do mesmo modo que o mercado? Afinal, subjetividade por subjetividade…