“Confie em mim”

Após uma rodada de conversas com investidores do Brasil e do exterior, Adriano Pires resume assim o que os desagrada no plano de negócios da Petrobras: “as informações deveriam ser mais detalhadas. Tem muito ‘confie em mim’ no plano.”

Um exemplo? A estatal não explicou como pretende elevar a produção até 2021, reduzindo investimentos e cortando custos. Apelou, apenas, para a vaga e manjada “produtividade”.

Um dos mais respeitados especialistas em energia do Brasil, Pires ressalva que a atual diretoria tem bem mais credibilidade que as gestões petistas. Mas, na vida, como nos negócios, o passado nos condena. “O histórico da Petrobras não é bom”, disse a O Financista.

Faça o primeiro comentário