Coração sossegado

Rodrigo Maia afirmou a O Globo que “alguma coisa pode ser feita” na PEC dos gastos públicos.

Segundo ele, a pressão no Congresso pode fazer, por exemplo, com que a base de cálculo para educação e saúde seja diferenciada ou com que o prazo para repactuação seja reduzido de dez para sete anos.

Ontem, questionado justamente sobre possíveis ajustes, o relator da proposta na comissão especial da Câmara, Darcísio Perondi, disse a O Antagonista: “Sossega o coração”.

Faça o primeiro comentário