De onde virá o dinheiro?

O economista José Roberto Afonso, contratado pelo Banco Mundial para assessorar o Rio, defende na Folha a taxa de 30% que o governo estadual pretende cobrar de servidores da ativa e aposentados para tentar equilibrar as contas.

Leiam, por favor, este trecho:

“Não tem dinheiro e não há decisão judicial que faça aparecer dinheiro no caixa. No Rio e em outros Estados está havendo uma sucessão de decisões judiciais arrestando o caixa dos Estados. É uma novidade histórica. O Judiciário está assumindo a gestão financeira do Rio e é inegável que se perde transparência. Porque não se sabe quem está na frente da fila de credores e por que está recebendo antes.”

Faça o primeiro comentário