Economia e semântica

O índice de intenção de consumo das famílias subiu pelo segundo mês consecutivo. A CNC, que representa o comércio e é responsável pela pesquisa, comemora que o indicador tenha crescido de 69,3 para 72,1 pontos.

Na sua escala, 100 pontos marca a disposição neutra para compras. Acima disso, há intenção clara adquirir bens e serviços. Abaixo, indisposição.

Isto posto, o brasileiro não está se entusiasmando em encher as sacolas. Está apenas um pouco menos desconfiado que em agosto. Mas, em relação a setembro do ano passado, o índice está quase 10% menor, o que mostra que, de lá para cá, o humor dos consumidores só piorou.

Faça o primeiro comentário