Embraer nega venda da área de defesa

A Embraer negou “veementemente”, em comunicado, que planeje vender a área de defesa, como noticiado neste fim de semana pela imprensa.

No último ano, a companhia despertou otimismo no mercado com o projeto do cargueiro militar KC-390, apontado como um potencial sucessor do famoso Hércules C-130, produzido pela americana Lockheed Martin.

A Embraer afirmou que a unidade é lucrativa e continua em expansão no Brasil e no exterior. Desconfiado, o mercado passou o dia punindo a empresa na Bolsa. Por volta das 16h, suas ações preferenciais lideravam as quedas, com baixa de 3,43% e negociadas a R$ 14,63.