Escrito nas estrelas

Os motivos que levam o governo a acreditar que o Brasil crescerá 1,6% em 2017, e não 1,2%, segundo Carlos Hamilton, secretário de política econômica da Fazenda: “mais e mais sinais de melhora.”

Entre eles: a alta da Bolsa ao longo deste ano; o aumento da confiança dos empresários e investidores e a retomada da indústria.

“Estamos muito convictos de que uma taxa de 1,6% é muito razoável; é bem aderente ao que a gente acredita que vá acontecer com a economia no ano que vem.”

Faça o primeiro comentário