Mais jogo de cintura

Tramita, na Câmara, um projeto de lei para flexibilizar as férias coletivas. A proposta é que possam ser divididas em até três partes por ano, com, no mínimo, dez dias cada.

Atualmente, a lei permite que as férias coletivas sejam repartidas em apenas dois períodos. O objetivo é permitir que as empresas possam recorrer mais a esse instrumento em momentos de queda da demanda, quando é necessário ajustar a produção.

Apresentado pelo deputado Marinaldo Rosendo (PSB-PE), o projeto será analisado apenas pelas comissões de Trabalho, Administração e Constituição e Justiça. Se aprovado, não haverá necessidade de passar pelo plenário.

Faça o primeiro comentário