Nada a comemorar

A proporção de famílias paulistanas endividadas recuou de 53,3%, em julho de 2015, para 49,2% no mês passado. Seria uma boa notícia, se a queda não fosse pelos motivos errados.

Primeiro: com medo de mais calotes, o mercado apertou o crédito o quanto pode. Ou seja: melhor não vender nada, a vender para alguém que não pagará nada. Segundo: as próprias famílias evitam novas dívidas. A ordem é quitar o que já devem e colocar um escorpião no bolso. As informações são da FecomercioSP.

Faça o primeiro comentário