Perguntar não ofende

O congelamento dos salários de funcionários públicos estaduais, por dois anos, será mantido pelo relator do projeto de renegociação das dívidas dos Estados na Câmara, Esperidião Amin (pelo menos, é o que garante Meirelles). Esta é a mais polêmica das contrapartidas exigidas pela União para aliviar a barra dos governadores.

Pode ser que Amin tenha, realmente, se convencido de sua necessidade, após uma reunião com Temer e Meirelles. Pode ser, apenas, uma média com o Planalto. A questão importante, mesmo, é: os demais deputados terão coragem de aprovar algo que contraria um dos segmentos mais corporativistas do país?

Faça o primeiro comentário