Petrolífera saudita admite suborno pela Embraer

A petrolífera Saudi Aramco admitiu, por meio de um comunicado, que um funcionário envolveu-se em um caso de corrupção com a Embraer.

A negociação visava à compra de três jatos regionais Embraer 170 em 2010. A empresa brasileira ainda não se manifestou.

A revelação ocorre pouco tempo depois de a Embraer chegar a um acordo nos Estados Unidos, para encerrar processos por corrupção, em troca do pagamento de US$ 205 milhões em multas.