Temer está com o coração dividido

O governo federal ainda debate o que fará com os R$ 38,5 bilhões arrecadados com a repatriação de recursos. Segundo Eduardo Guardia, secretário-executivo da Fazenda, disse a jornalistas, uma parte do governo defende que se quitem restos a pagar deste ano. Outra, que alivie o déficit fiscal.

Saldar restos a pagar agradaria ao Congresso, porque aumentaria a base de gastos do governo, sobre a qual será calculado o teto de despesas do ano que vem, já sob efeito da PEC do Teto. Aliviar o déficit agradaria aos investidores e aos agentes econômicos em geral.

O problema é que Temer precisa de ambas as coisas.

Faça o primeiro comentário