Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Guedes leva um passa-moleque de Arthur Lira

O ministro disse que espera ver uma reforma administrativa aprovada até dezembro e é imediatamente desmentido pelo presidente da Câmara
Guedes leva um passa-moleque de Arthur Lira
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Paulo Guedes se torna a cada dia mais patético. Uso a palavra tanto no seu sentido etimológico, que diz respeito ao que provoca pena, quanto no seu sentido coloquial, como sinônimo de ridículo. Hoje, ele levou um passa-moleque de Arthur Lira, o presidente da Câmara.

Passeando no Bahrein, Guedes disse aos jornalistas que espera ver uma reforma administrativa aprovada até dezembro. Lira respondeu que não pretende pautar a matéria, porque ela só recebe “um pálido apoio do governo”.

Guedes é patético porque não antecipou o óbvio. Seu chefe, Jair Bolsonaro, acaba de dizer que gostaria de dar um aumento para todos os funcionários públicos. Fez papel de bom moço para a categoria. O ministro da Economia achou mesmo que depois disso Lira aceitaria representar o vilão da opereta, levando ao plenário uma reforma que, mesmo sem mexer com os atuais servidores, vai ser demonizada por eles e por seus lobistas?

Mais ainda: o dinheiro para o reajuste do funcionalismo sairia de onde? Uma possibilidade seria morder a verba que, uma vez aprovada a PEC do Calote, deve ser destinada às famigeradas emendas do relator, ou qualquer outro mecanismo que venha a substituí-las. Essas verbas são a base do poder de Lira. Nominalmente “do relator”, elas são na verdade suas, e ele  as distribui da maneira que mais lhe convém.

Sério mesmo, Paulo Guedes?

Lira é uma figura molesta. Se um dia uma escola de samba fizesse um carro alegórico sobre o fisiologismo, ele provavelmente estaria representado lá no topo, cheio de plumas. Mas uma coisa não se pode negar a ele.

Enquanto Bolsonaro faz palhaçadas mundo afora, e videozinhos dos seus quartos de hotel; enquanto Paulo Guedes se comporta como o Colimério (procure na internet, é um urso atarantado dos antigos desenhos do Pica-Pau), Lira faz a coisa andar. As poucas soluções que mantêm esse governo incompetente à tona se devem a ele.

Mas não, Paulo Guedes, ele não vai dar a cara a tapa enquanto Bolsonaro manda beijos para o  funcionalismo.  Menos ainda se houver risco de mexerem nas suas emendas, nos seus bilhões.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO