Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Impedimento de ocasião

Impedimento de ocasião
Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

Luiz Fux foi responsável ontem pelo voto que formou a maioria pela anulação da delação de Sérgio Cabral. O presidente do Supremo não se viu impedido de apreciar a preliminar do caso, que questionava a legalidade de acordos firmados pela Polícia Federal.

Em setembro do ano passado, porém, Fux alegou questões de “foro íntimo” para não analisar o recurso da defesa de Cabral contra o arquivamento sumário, por Dias Toffoli, de 12 inquéritos abertos a partir da colaboração do ex-governador. O caso foi repassado então para Rosa Weber.

No voto de ontem, o ministro não matou no peito, mas deu um drible jurídico ao alegar que não estava entrando no mérito da delação de Cabral. Ao acolher a preliminar, Fux mandou para o lixo todo o acordo do delator que o ajudou a chegar ao Supremo.

A decisão do plenário também desconsiderou o recurso anterior que ainda estava sob análise de Rosa.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO