Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Nota do PT sobre a Nicarágua: fãs de Lula na imprensa silenciam

Sabe como é que é: a infâmia petista sobre a farsa eleitoral do ditador Daniel Ortega pode prejudicar a candidatura do ex-condenado e coisa e tal
Nota do PT sobre a Nicarágua: fãs de Lula na imprensa silenciam
Foto: Cancillería del Ecuador, Flickr

Os fãs de Lula na imprensa se calaram sobre a nota vergonhosa que o PT divulgou ontem à noite sobre o resultado da eleição (se é que se pode chamar assim) que deu mais um mandato (se é que se pode chamar assim) a Daniel Ortega, que tiraniza a Nicarágua desde 2007, consecutivamente. A farsa (a coisa pode ser chamada assim) foi elogiada pelo PT, por meio da seguinte nota, assinada por um certo Romenio Pereira, secretário de Relações Internacionais da organização:

O Partido dos Trabalhadores saúda as eleições nicaraguenses realizadas neste domingo, 7 de novembro, em uma grande manifestação popular e democrática deste país irmão. Os resultados preliminares, que apontam para a reeleição de Daniel Ortega e Rosario Murillo, da FSLN (Frente Sandinista de Libertação Nacional), confirmam o apoio da população a um projeto político que tem como principal objetivo a construção de um país socialmente justo e igualitário. Esperamos seguir com a FSLN neste caminho de construção de uma América Latina e Caribe livres e soberanos, uma região de paz e democracia social que possa servir de exemplo para todo o mundo.

Antes do simulacro de eleição, Daniel Ortega (foto) e sua mulher e vice, Rosario Murillo, tinham 19% de intenções de voto nas pesquisas eleitorais. O que fez, então, o ditador? Mandou prender sete pré-candidatos presidenciais. Dois fugiram para o exterior. Com os nove fora, mais uma ajeitadona de mão num pleito sem observadores internacionais, a dupla de democratas foi declarada vencedora com 75% dos votos — como se esse número fosse mais crível do que 80% ou 90%, sei lá. Uma beleza.

Os fãs de Lula na imprensa engoliram a língua seletivamente. Estão agora festejando o fato de a Câmara de Deputados do Chile, tomada pela esquerda, ter aberto um processo de impeachment eleitoreiro contra o presidente Sebastián Piñera — que vale tanto quanto a esquerda chilena, sejamos justos. Nenhuma palavra sobre o teatro canalha do ditador Daniel Ortega e sua indigníssima esposa.

Dá para entender o silêncio. Comentar a nota infame do PT poderia prejudicar a candidatura de Lula em 2022. O chefão teve certo abalo na popularidade quando menosprezou as manifestações populares contra o regime cubano, do qual sempre foi amicíssimo — tão amigo que ajudou os irmãos Castro a fortalecer a ditadura bolivariana na Venezuela, tão amigo que afirmou que “Cuba poderia ser uma Holanda”, não fosse pelo embargo americano. Melhor mesmo os fãs de Lula na imprensa ficarem de boca fechada, como o chefão fez dessa vez, inclusive porque isso não vai doer na alma de nenhum deles, visto que qualquer crítica ao que ocorreu na Nicarágua seria insincera.

Ontem, a União Europeia divulgou uma declaração em que afirma que faltou legitimidade à reeleição de Daniel Ortega, que o pleito não contou com garantias democráticas e que o resultado mostrava que a Nicarágua estava sob o domínio de um regime autocrático. A União Europeia também pediu que o ditador libertasse todos os presos políticos e anulasse os processos contra eles. A resposta de Daniel Ortega foi televisionada: “Aquilo a que agora se chama União Europeia tem uma maioria de parlamentares fascistas, nazis”.

É isso aí. Quem aponta o autoritarismo do PT só pode também ser fascista, nazi ou bolsonarista. Como escreveu o improvável Romenio Pereira, “esperamos seguir com a FSLN neste caminho de construção de uma América Latina e Caribe livres e soberanos, uma região de paz e democracia social que possa servir de exemplo para todo o mundo.” Mais claro, impossível: eles querem que o Brasil se torne uma Nicaraguona. Mas o problema é só Jair Bolsonaro, você sabe.

Atualização: o PT retirou a nota do ar. Mas só por medo de que afetasse a popularidade de Lula, não por mudança de convicção.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO