Conteúdo patrocinado por Produzido por OALab

Como usar seu carro para dar adeus aos juros astronômicos dos bancos

Seu carro serve para levá-lo ao trabalho, para transportar as compras do mês, para pegar as crianças na escola, para levar a família para viajar… Acrescente mais uma utilidade à lista: ele pode ajudá-lo a deixar para trás os letais juros cobrados pelos bancos e a acelerar na direção dos seus projetos mais importantes.

A operação pela qual seu carro pode ajudá-lo financeiramente é chamada empréstimo com garantia de veículo: o proprietário oferece seu carro como garantia de pagamento — mas continua rodando normalmente com o veículo — e, em troca, obtém prazo maior para quitar o empréstimo e parcelas que cabem no bolso. Mais: o juro cobrado não atropela ninguém. Duas histórias reais de pessoas que usaram a modalidade de crédito: a empresária Letícia*, de Santos (SP), usou seu Renault Duster 2014 para levantar R$ 27 mil e reformar sua loja; o autônomo João, de Italva (RJ), precisava de R$ 10 mil para pagar despesas decorrentes da gravidez da mulher e da chegada do filho. Deu como garantia seu Volkswagen Golf 2010.

SIMULE O EMPRÉSTIMO AGORA

A Creditas é especialista em empréstimos com garantia de veículo. A empresa oferece juros a partir de 1,49%. Ao ano, isso representa uma taxa de 19,4%. É uma trombada nos juros astronômicos cobrados pelos bancos (confira na tabela abaixo). “O brasileiro gosta de ser proprietário e muitas vezes compra o bem à vista. Quando precisa de dinheiro, não tem. Agora ele pode colocar o bem para trabalhar a seu favor”, diz Fabio Zveibil, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da Creditas.

Fatores simples explicam as diferenças abissais entre os juros cobrados pelos bancos e a taxa do empréstimo com garantia da Creditas. Primeiro, ao oferecer um bem como garantia, o proprietário do carro mostra que tem condições reais de quitar a dívida, reduzindo o risco da operação e, consequentemente, seu custo — isso derruba a inadimplência, que hoje está abaixo de 1%, de acordo com dados da Creditas. Segundo, por manter uma operação 100% digital, a Creditas não precisa carregar o peso dos velhos bancos, como despesas com manutenção de agências. Por último, mas não menos importante, a Creditas usa um sistema de inteligência que analisa vários indicadores relacionados ao tomador de empréstimo, para oferecer taxas personalizadas. Assim, a empresa se concentra no principal: oferecer juro menor e ajudar os proprietários a usufruir de seus bens.

O valor mínimo para empréstimo é de R$ 5 mil, podendo chegar a até 90% do valor do veículo, que pode ter até 10 anos de vida. O prazo de pagamento varia de 12 a 48 meses. A operação é toda online: basta entrar na página da Creditas, fornecer as informações cadastrais, financeiras e do veículo e fazer a simulação do empréstimo. A taxa de juros e a simulação de valores de parcelas são informados em segundos. Se o proprietário aceitar as condições, começa o processo para o crédito, acompanhado por consultores da empresa.

“O processo todo é muito simples. A análise de crédito é feita no mesmo dia em que o cliente realiza a simulação. Se a documentação estiver em ordem, o dinheiro sai em poucos dias”, afirma Zveibil.

Durante o período de vigência do empréstimo, o veículo fica alienado, mas o tomador de crédito continua a usar o carro normalmente. A alienação é desfeita após a devolução integral do crédito. Se quiser vender o carro durante o contrato, o proprietário precisa quitar o empréstimo.

Carros não são a única especialidade da Creditas. A empresa oferece também empréstimos com garantia de imóvel (leia aqui como essa modalidade funciona).  Instalada em um dos principais centros de finanças e tecnologia de São Paulo, a Avenida Berrini, a Creditas tem hoje 450 funcionários. Desde a fundação, em 2012, já recebeu aportes que somam 285 milhões de reais. Entre os investidores estão nomes como os fundos KaszeK Ventures (que investiu na Netshoes, Nubank e Dr. Consulta), Naspers (no iFood), Redpoint eventures, Quona Capital, Endeavor Catalyst e Santander Innoventures, fundo do Santander sediado em Londres. O aporte na Creditas foi o primeiro feito por esse fundo em uma empresa brasileira.

Quer saber mais? Clique no botão abaixo e acesse a plataforma da Creditas.

CONHEÇA MAIS

* As histórias da empresária Letícia e do autônomo João são reais. Por questão de privacidade, eles aparecem aqui com nomes fictícios.