Nesta semana, em minha coluna na Crusoé, eu, Diogo, tratei da expectativa de ser vacinado contra a Covid-19:

“Vou ser vacinado nos primeiros meses de 2021. Antes de mim, idosos, médicos, enfermeiros, professores, policiais, carcereiros. Há 4.444.048 italianos com mais de 80 anos. Eles podem furar a fila, assim como todos aqueles que fazem trabalhos essenciais. Jornalismo nunca foi um trabalho essencial. Mas pensei que o fato de escrever dez posts por dia a respeito de Arthur Lira me colocasse automaticamente numa categoria de risco. Eu estava enganado.

Vou tomar a vacina assim que ela chegar no posto de saúde. Mas tanto faz ser vacinado antes ou depois. O que realmente importa é que 70% das pessoas também se vacinem. Não adianta nada estar imunizado contra a Covid-19 se o resto do rebanho continuar preso no curral. O ministro da Saúde italiano já anunciou que o governo não vai obrigar ninguém a se vacinar. A não ser que, por algum motivo, menos de 70% das pessoas se vacinem. Nesse caso, vai ser na marra, sim. A vacina não vai ser obrigatória – mas vai.”

A coluna prosseguia com uma série de insultos a Jair Bolsonaro – eu o insulto todas as semanas – e terminava da seguinte maneira:

“Os resultados completos da fase 3 dos testes da Coronavac serão encaminhados à Anvisa e, a partir daquele momento, os brasileiros vão entrar oficialmente na fila da vacina. A velocidade dessa fila vai determinar o futuro do Brasil, e não a propaganda nas redes sociais. Faltam 92 horas até lá”

Confiei na tempestividade de João Doria e do Instituto Butantan e acabei quebrando a cara, porque os resultados dos testes atrasaram em uma semana. Ao mesmo tempo, o fabricante da Coronavac, a Sinovac, anunciou que vai pedir o registro da vacina na China, e isso deve atropelar a sabotagem bolsonarista, considerando que a Anvisa chinesa vale mais do que a Anvisa brasileira.

Não tenho a menor dúvida de que isso vai determinar o futuro do Brasil – e também de uma parte do mundo.

Os assinantes da Crusoé poderão acompanhar os fatos de perto, com reportagens exclusivas, porque as vacinas contra a Covid-19 – todas elas – estão no centro da nossa pauta.

A Crusoé vai defender o seu direito de se vacinar. E o seu dever.

A guerra no STF

Com a reviravolta no julgamento sobre a reeleição no Congresso, a corte volta a ser palco de troca de farpas entre ministros, intrigas e até ameaças.

Os relatórios confidenciais da J&F

Documentos do acordo de leniência da holding revelam que a JBS omitiu da Justiça informações importantes em sua delação, o que a coloca novamente em xeque. Há ainda novos detalhes de repasses feitos a ministros do atual governo e ao Instituto Lula

O balcão de negócios no Congresso

Liberação bilionária de emendas, ofertas de ministérios, promessas de implosão da Lava Jato e até de um novo financiamento sindical: o que está na mesa de negociações pela sucessão na Câmara e no Senado.

Por que ter acesso ao combo

O ANTAGONISTA+ e CRUSOÉ?

Embora tenham o mesmo DNA, O ANTAGONISTA+ e CRUSOÉ são publicações com características e personalidades bastante distintas.

Explicando melhor: as duas publicações são complementares.

Enquanto O ANTAGONISTA+ oferece uma cobertura eletrizante e em tempo real dos principais fatos da política, CRUSOÉ traz reportagens investigativas aprofundadas e artigos analíticos sobre o presente e o futuro do Brasil.

O ANTAGONISTA+ coloca VOCÊ na trincheira da cobertura política, no corpo a corpo com os poderosos.

CRUSOÉ leva VOCÊ para a ilha do jornalismo independente, que propicia o aprofundamento e a reflexão.

Em conjunto, eles podem fazer o que nenhuma outra publicação faz por você.

O acesso às duas publicações é uma oportunidade única de saber — em tempo real e em primeira mão — os movimentos nos bastidores da política brasileira e, adicionalmente, entendê-los em profundidade, antever seus desdobramentos para o país e até as consequências para a sua vida.

Mais: nenhuma das publicações veicula anúncios de órgãos públicos de qualquer Poder (Executivo, Legislativo e Judiciário) e esfera (federal, estadual ou municipal), tampouco de empresas estatais ou companhias privadas enroladas em escândalos de corrupção.

Recusamos integralmente qualquer recurso proveniente dessas fontes.

O princípio é: o jornalismo independente não pode ter vínculos comerciais com autoridades e instituições que ele, o jornalismo independente, deve fiscalizar

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo

1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE

A Coluna Exclusiva de Sergio Moro

Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe

Newsletters Exclusivas