A calamidade da febre amarela

Mairiporã, na Grande São Paulo, decretou situação de emergência e calamidade na saúde pública por 180 dias em razão da febre amarela, que já matou dez pessoas na cidade.

A prefeitura deve divulgar hoje a contagem de casos suspeitos. Até o último sábado, dia 13, havia 42 pacientes com a doença.

Segundo a Agência Brasil, foram recolhidos 230 macacos mortos, 97 deles com febre amarela confirmada.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Só baboseiras. Macocos mortos que ninguém viu, gente morta, os quais não aparecem seus familiares na tevê para dar autenticidade ao fato, ou o médico relacionado.
    Tudo morte fantasma para iludir a população e enfiar goela abaixo uma vacina meio assassina.

Ler mais 6 comentários
  1. Só baboseiras. Macocos mortos que ninguém viu, gente morta, os quais não aparecem seus familiares na tevê para dar autenticidade ao fato, ou o médico relacionado.
    Tudo morte fantasma para iludir a população e enfiar goela abaixo uma vacina meio assassina.

  2. Esse país está podre, acabado.
    Se não é a criminalidade, são essas doenças típicas de países de terceiro mundo que voltaram a nos afligir como prova incontestável da falência das autoridade no trato da saúde publica nesse país.
    Que Deus nos ajude!

  3. No Brasil:
    Verão = Dengue, Chikungunya, Febre Amarela, Zika, etc…
    Inverno = Gripe A, Meningite, etc..
    É que no caminho não mais haviam Vitais Brazis e Oswaldos Cruz… em vez disto topamos com Lula’s & Dilma’s e…
    e cá etamos…
    mal nos demos…
    na verdade, nos f*d*mos.

    https://www.institutoliberal.org.br/blog/o-pt-acabou-com-o-brasil/