CNBB: caso de menina de 10 anos estuprada pelo tio envolve "dois crimes hediondos"

O presidente da CNBB, Walmor Oliveira de Azevedo, se pronunciou sobre o caso da menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada pelo tio e, no último domingo, realizou um aborto autorizado pela Justiça.

O bispo católico disse “ser lamentável presenciar aqueles que representam a Lei e o Estado, com a missão de defender a vida, decidirem pela morte de uma criança de apenas cinco meses, cuja mãe é uma menina de dez anos”.

Para o presidente da CNBB, o caso envolve “dois crimes hediondos”.

“A violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se explica, diante de todos os recursos existentes e colocados à disposição para garantir a vida das duas crianças. As omissões, o silêncio e as vozes que se levantam a favor de tamanha violência exigem uma profunda reflexão sobre a concepção de ser humano.”

Bispos só deveriam falar dos abusos sexuais infligidos por padres a meninos.

Leia mais: CHEQUES DE QUEIROZ A MICHELLE BOLSONARO: O PRÓXIMO CAPÍTULO
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO