Criador de Inhotim é condenado por lavagem de dinheiro

A 4ª Vara do TRF em Belo Horizonte condenou o empresário Bernardo Paz, idealizador do Instituto Inhotim, e sua irmã Virgínia a 5 anos e 3 meses no semiaberto, por lavagem de dinheiro.

O MPF os acusa de usar um fundo no exterior para repassar US$ 98,5 milhões à Horizontes, empresa criada por Bernardo para manter o Inhotim a partir de contribuições de seus outros empreendimentos.

O advogado dos irmãos, Marcelo Leonardo, disse ao G1 que já recorreu da sentença: “Eles são inocentes e a decisão é injusta.” O Inhotim, a 60 km de BH, é um grande acervo de arte contemporânea ao ar livre.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Quando algum empresário rico resolve praticar alguma forma de mecenato no Brasil, quem não recebe propina no caminho decide puni- lo. Ou o terrorismo político surge no Brasil e destrói Brasília com um ataque de Dr.ones logo, ou Brasília VAI destruir o que resta do Brasil. …Ah! Conheçam o Inhotim e entenderão o que eu disse!

Ler mais 26 comentários
  1. Quando algum empresário rico resolve praticar alguma forma de mecenato no Brasil, quem não recebe propina no caminho decide puni- lo. Ou o terrorismo político surge no Brasil e destrói Brasília com um ataque de Dr.ones logo, ou Brasília VAI destruir o que resta do Brasil. …Ah! Conheçam o Inhotim e entenderão o que eu disse!

  2. Fui a Inhotim algumas vezes e o lugar é lindo. Merece a visita. Mas estranhei o preço de manutenção daquilo. Havia pouca visitação em todas as vezes que fui por lá. E meus parentes de Bh já diziam que era lavagem de dinheiro. Eu achava que era sustentado por dinheiro público. Não sei se os ingressos pagam a manutenção.

  3. Não vou entrar no mérito da condenação, não conheço Bernardo Paz, mas Inhotim é muito mais que um grande acervo de obras de arte ao ar livre. É um parque que talvez não encontre paralelo no Brasil e ganha de muitos outros no exterior. Bonito, bem cuidado, bem organizado, passear por ele é como sair do Brasil e entrar num país civilizado. Sem contar que ganhou o título de jardim botânico pelas mais de duas mil (ou 4 mil, não me lembro bem) espécies de palmeiras de todo o mundo ali plantadas. Fui lá uma vez e espero voltar um dia.

  4. “…Bernardo Paz, idealizador de Inhotim, condenado por lavagem de dinheiro, é irmão de Cristiano Paz, o ex-sócio de Marcos Valério.”

    Curiosidade, claro. o Antagonista – sutilezas do SITE – Tem Aécio Neves neste rolo spo pesquisar…

  5. O Brasil seria outro, se todos os acusados de corrupção tivessem investidos em obras de artes, e as colocassem ao deleite dos visitantes, como acontece em Inhotim. Todos nos sabemos que aqueles que roubam, normalmente escondem. Não e seu LULADRÃO e familia!

    1. Uma maravilha a disposição de quem o visita. Seu idealizador merece nosso respeito.P.S. Que os ataques sejam um estimulo para aumentar o acervo da INSTITUIÇÃO. Roubando e expondo, vocês por acaso ja teriam ouvido falar nisso ? LULADRÃO e famila, roubando e escondendo.kkk

    1. Pois e Murilo, o Cara trabalhou para a arte e estão querendo puni-lo! Murilo, venha as nossas Minas Gerais e visite INHOTIM.

  6. A explicação ficou um tanto truncada e não dá para entender o que Bernardo Paz fez de criminoso.
    Agora, com relação ao INHOTIM é um Jardim Botânico e Museu de Arte Contemporânea (sem peladão) e local maravilhoso, que requer dois dias para você conhecer, de tão grande e com tantos locais maravilhosos e obras a serem vistas. Mesmo você se deslocando, internamente, de ônibus e outros veículos do Inhotim, um dia é muito pouco para apreciar tanta beleza. Com certeza, a notícia não irá impactar no projeto e é uma pena, porque o Bernardo Paz tem dedicado sua vida a este empreendimento, tendo vendido suas empresas para aplicar o dinheiro neste sonho, que é um museu conhecido mundialmente. Fora isso, não morram sem ter conhecido o INHOTIM, que fica em Brumadinho (MG).

    1. Sempre quis conhecer Inhotim, mas acabou ainda não dando certo. Creio que essa notícia não trará impactos negativos ao museu. Agora, no tangente ao empresário preso, se ele tiver cometido atos ilícitos, deve pagar por eles.