De maio de 1968 a maio de 2018, muita coisa mudou. Menos a vontade da esquerda de nos enviar para o século XIX

Enquanto os jornais e tevês brasileiros romantizam o aniversário de 50 anos de maio de 1968 em Paris, eu vou dizer o que está ocorrendo neste maio de 2018 na França — mais precisamente, na Universidade de Nanterre, onde nasceu a revolta estudantil que ainda acelera os coraçõezinhos revolucionários.

Para reviver maio de 1968, um grupelho esquerdista tomou a universidade e declarou que a instituição estava em greve. O pretexto é a modernização do sistema de ensino levada a cabo pelo presidente Emmanuel Macron. O governo quer simplificar e racionalizar o acesso às universidades públicas francesas. O grupelho esquerdista, claro, é contra.

Em Paris, Lyon, Nantes, Montpellier e Grenoble, entre outras cidades, universidades foram tomadas por grupelhos semelhantes. A polícia desajolou os invasores de Tolbiac (Paris 1), mas o reitor de Nanterre acovardou-se por causa do simbolismo adquirido em 1968. Em nome da autonomia universitária, deixa a moçada deitar e rolar — apesar de a maioria dos estudantes ser contra a ocupação.

O grupelho em Nanterre conta com o apoio de sindicalistas ferroviários e, a partir de hoje, de sindicalistas carteiros. Os ferroviários entraram na história porque fazem de tudo para manter privilégios que datam da época em que as locomotivas eram movidas a carvão, enquanto Macron tenta impedir que tais privilégios sejam concedidos aos futuros funcionários da estatal de trens. Há mais de um mês, essa gente vem transformando a vida dos passageiros num inferno, intercalando dias de funcionamento com dias de paralisação.

Quanto aos carteiros, eles querem que os franceses continuem a mandar cartas em papel para resolver toda e qualquer questão burocrática. Basicamente são contra a internet e a privatização da entrega de pacotes, que possibilitaria a livre concorrência e o barateamento do serviço.  Anteviram no fechamento de agências supérfluas um movimento do governo nessa direção e forçaram uma greve. Discursam em prol do serviço público, mas a intenção é perpetuar as mamatas de que gozam numa estatal que pesa no bolso dos pagadores de impostos e não consegue nem mesmo manter máquinas de xerox em funcionamento (na agência perto da minha casa, a máquina está quebrada há quatro anos).

Essa vanguarda do ranço juntou-se ao grupelho que barbariza na Universidade de Nanterre. Com o ano letivo terminando, milhares de alunos estão impedidos de fazer as provas finais e correm o risco de atrasar os seus respectivos cursos. Se nada for feito, muitos deles passarão o próximo ano sem estudar. É o caso da minha enteada. Ela está no quarto ano da faculdade de Direito. Precisa fazer as provas urgentemente, porque são pré-requisito obrigatório para tentar uma vaga em criminologia na Sorbonne — na França, os últimos anos dos cursos universitários são de especialização e você nem sempre tem a opção de especializar-se na universidade onde começou a estudar. A Sorbonne não adiou o prazo de inscrição para a seleção e, assim, a minha enteada corre o risco de perder um ano da sua vida escolar — o que atrasará o início da sua carreira.

Até hoje de manhã, havia a esperança de que os alunos de Nanterre pudessem fazer as provas finais em Arcueil. Mas o grupelho esquerdista, os ferroviários e os carteiros avisaram que irão bloquear a entrada e impedir a realização das provas.

De maio de 1968 a maio de 2018, muita coisa mudou na França e no mundo, menos a disposição da esquerda de atrasar o relógio das sociedades para o século XIX. E o cidadão comum que pague com a sua própria libra de carne o almoço grátis que essa gente insiste em ter.

 

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. A França é a grande mãe de todas as revoluções das massas, começando pela Revolução Burguesa no apagar das luzes do século 18, passando pela Comuna de Paris em meados do século 19 e culminando com as revoluções socialistas do século 20; deixou como legado à humanidade os maiores e mais sanguinários tiranos da história como Napoleão, Lênin, Stálin, Mao, Pol Pot. Vive la France!

    1. Bom mesmo é a Deuschland, que semeou, no séc. XIX de Bismarck, o ultranacionalismo, inspiração para outros ditadores sanguinários e admiradores deles (Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, Pinochet, Médici, Anastasio Sornoza, Papa Doc, Stroessner, Netanyahu, Putin, Erdogan, Fujimori, Maduro et caterva).

Ler mais 81 comentários
  1. A França é a grande mãe de todas as revoluções das massas, começando pela Revolução Burguesa no apagar das luzes do século 18, passando pela Comuna de Paris em meados do século 19 e culminando com as revoluções socialistas do século 20; deixou como legado à humanidade os maiores e mais sanguinários tiranos da história como Napoleão, Lênin, Stálin, Mao, Pol Pot. Vive la France!

    1. Bom mesmo é a Deuschland, que semeou, no séc. XIX de Bismarck, o ultranacionalismo, inspiração para outros ditadores sanguinários e admiradores deles (Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, Pinochet, Médici, Anastasio Sornoza, Papa Doc, Stroessner, Netanyahu, Putin, Erdogan, Fujimori, Maduro et caterva).

  2. Lembrem-de, o esquerdismo não é uma bandeira política, é uma doença mental. Toda sociedade enfrenta esse mal vez por outra. A receita é simples. Pegue a escória da sociedade e adicione uma boa dose de ressentimento e inveja. Pronto, vc criou um esquerdista!

  3. As esquerdas,no planeta todo,prometem o que não podem cumprir,mas passam tanto mel na boca dos ignorantes que eles acabam acreditando nas mentiras dos sindicalistas vagabundos e,no final.prejudicam à si próprios,com a perda de empregos e desconto de dias parados,e que ninguém dos sindicatos pagam para eles.Quem sempre se dá
    bem são os lideres !

  4. Tá, mas, e porquê você continua apoiando gente com Hillary Clinton, Obama, Justin Trudeau e todos esses isentões que fingem que são contra isto, mas continuam fazendo sempre a lesma lerda, só que tomando vinho em vez de pinga?

  5. A culpa é da imprensa. Eu vi uma reportagem na Globonews sobre o tal Maio de 68. Chega a dar nojo. Consideram algo que revolucionou a sociedade moderna, embora tenham sido derrotados pelo governo e tenha sido um movimento minoritário e sem apoio da sociedade propriamente dita.
    A imprensa mundial gosta dessas coisas e tem o esquerdismo no sangue.

  6. Parabéns, Mário, por romper os vínculos com o passado ideológico e ter coragem de afrontar o patrulhamento dos colegas. A estratégia foi boa: escolher uma analogia à francesa e falar as coisas do Brasil. Não deve ser fácil para quem permaneceu tanto tempo na bolha socialista e de repente “sartar fora”. Agora que o felino abriu os olhos, de um tempinho antes de pedir intervenção militar, pois do jeito que as redes sociais estão pautando os acontecimentos, talvez nem seja necessario. Hehe.

  7. É indecente, revoltante e inadmissível, a audácia destas minorias.
    São opressores, bárbaros e precisam de pulso forte, gás lacrimogênio e canhão d”água e não de complacência e olhares românticos.

  8. Sergio Franco disse: 9 de Maio de 2018 às 19:21
    Troque apenas as universidades francesas pela UFRJ, USP e PUC e o resultado seria o mesmo. Esquerda = atraso.
    =========================
    As tais universidades são bem grandinhas e a esquerdalha sobrevive apenas em alguns cursos, em outros jamais teve espaço algum, nem mesmo na ditamole. Menos, menos.

  9. Sinceramente? A França que se exploda! Paisinho socialista que nunca teve a sua Thatcher, que nos deu lixo marxista como Foucault, Sartre e Simone de Beauvoir e que apoia tudo o que é de errado, inclusive esses comunistas vagabundos da América Latina. Já tentou conversar com o francês “padrão”? Um bando de esquerdiotas magricelas afeminados, nada mais, que adoram atacar o espírito empreendedor americano, preferem praia a trabalho e que merecem o país que tem. Ainda se sustentam por fazerem parte da Zona do Euro e graças ao turismo, mas com um eventual colapso da Zona do Euro, o que é questão de tempo, e a descaracterização de seu país, que pouco a pouco se torna uma republiqueta islâmica, logo devem desaparecer e parar de encher o saco do mundo.

  10. Muito bom relato. Os sindicatos só servem para a obtenção e manutenção de privilégios via greves e outros atos de ruptura da ordem nacional. São antro de vagabundos, indolentes, incapazes e corruptos. Não servem para absolutamente nada de real. Deveriam ser banidos da face da terra de uma vez por todas e sem exceção, pois sua presença massiva e secular já atrasou o avanço da humanidade em muitos mais séculos.

    1. Magnífico para um jumento neolibelista do lumerproletariado que aceita TNC sem reclamar da dor.
      Esse Mario Burrindo só não falou que são esses “grupelhos” que mantiveram a França como um dos melhores lugares para se viver durante anos a fio, mesmo nos tempos do Gentinha Sarkúzi, do Hollande Corta-Salários e desse Horácio Cartes europeu.

  11. Infelizmente, a França já não está nos moldes da Venezuela, por estar na zona di Euro, que vem, desde sua implantação, escondendo as mazelas econômicas dessas sociedades Marxilizadas!

  12. É impressionante , incompreensível o fato de uma minoria retrógrada e barulhenta , embalados por idéias mofadas , ultrapassadas, dominar um espaço tão significativo para a maioria dos jovens que pensam um futuro próspero e inovador.

  13. A decadência da França começou com o Terror da Revolução. Maio de 68 é só a continuação do precipício que se anuncia… C’est trop tard…

  14. E o mais interessante é que vivemos contemporaneamente a sociedades que se modernizaram e propiciaram uma qualidade de vida incomparavelmente muito superior a qualquer dos países governados pela esquerda, mas a ideologia da mediocridade continua seduzindo uma gama ampla de histéricos devotos. Tenho para mim, que a explicação desse fenômeno reside no baixo nível de inteligência emocional que grassa no planeta.

  15. Tanto colunista de jornal vivendo ainda em 68 e parece morar na França de estudante. C’est l’enfant ancien.. Nem uma palavra sobre o que mexeu com o mundo de verdade, a primavera de Praga esmagada por tanques. Que direcionou a cortina de ferro para a queda do muro em 89.

  16. A esquerda é amante do atraso, na França, no Brasil ou em qualquer lugar desse nosso planeta, vivem em um estado mental que beira uma alucinação coletiva, e eles não desistem nunca de nos levarmos juntos para o abismo mesmo que seja a força, contra a nossa vontade. O esquerdista vai dormir pensando em revolução, e acorda pensando em revolução, eles não pensam em mais nada.

  17. Quer dizer, lá é como aqui, só que mais elegante, falando francês.
    Essa gente tem ojeriza ao mercado, medo mesmo, ir todos os dias
    tocar sua vida na iniciativa privada coisa que arrepia muitos
    funcionários públicos e outros dependentes do estado que dependem
    da arrecadação capitalista(não esquerdista) para receberem bons salários.
    Quanto aos jovens, se você deixar apertam o botão e explodem o planeta.

  18. É a democracia da esquerda: meia dúzia barulhenta perturbando a vida de todo mundo. Mas deve-se aceitar porque “a esquerda está sempre certa e estão lutando pela democracia”. Até quando vamos tolerar isso?

  19. Pois é… Infelizmente a cultura francesa ainda tem grande influência em Banânia e infelizmente – para a França e Banânia – não apareceu ainda uma Thatcher para botar ordem nessa zona.

  20. A mesma mentalidade e o mesmo discurso dos que se opunham à abolição do cativeiro – ia desmantelar a economia – e à instituição do 13º salário – mamata para os trabalhadores, que quebraria as empresas. É só ler os jornais da época.

  21. Esse 68 foi pleno fermento da União Soviética usando sua capilaridade na propaganda ideológica no ocidente através de intelectuais ( a França tinha eles aos montes), sindicatos, estudantes, etc. e tal. O que pesou mesmo para o ocaso das Farcs, por exemplo, foi o fim da União Soviética; foi quando acabou a mesada fornecida para Cuba. É só prestar atenção: onde estão o IRA, Brigadas Vermelhas, ETA, Bader Meinhof? Sumiram exatamente com a quebra da União Soviética.

    1. É muito pó do Aecim para falar mer… como essa, né?
      O ETA teve sua decadência bem antes da URSS cair, quando aquele “anjo de candura” do Franco (aquele que teve que apelar pra um outro “anjo”, Hitler, para tomar o poder a força porque não aceitava a derrota de seu grupelho nas urnas, tal como o Abominável Homem de Minas) foi direto pro inferno.
      Aí, como o País Basco já conseguiu uma autonomia (limitada) dos sugadores de Castella, os meliantes fizeram o que fizeram.

  22. Mais um caso simbólico do que estes grupos realmente buscam: Privilégios. nada mais. Não existe nenhum ideal por trás. Apenas um discurso para cooptar o restante da sociedade.

  23. Entre 2007 e 2009, período em que morei em Saint Germain-en-Laye, próximo a Nanterre, já eram esperadas as greves dos ferroviários todos os anos lá pelo mês de novembro. Passaram-se 10 anos e a situação continua a mesma. Quando é que os franceses vão colocar um ponto final nessa questão?

  24. Vemos aí nesse excelente texto muito esclarecedor que Mario Sabino, O Antagonista “Fransuà” (hehe), finalmente está se apercebendo da realidade já reiteradamente explicitada por Olavo de Carvalho, e cedendo à verdade já admite o uso do termo “revolucionário” em seus textos.

    Parabéns Mário!
    Você demonstra que está aprendendo com Olavo de Carvalho.
    Hehehe…!!!

  25. Esquerdalhas são todos iguais. Antidemocráticos. Terroristas. Gostam das mamatas do Estado e em todos os lugares onde chegam ao poder trazem pobreza e déficit fiscal para sustentar uma casta de parasitas. Desçam o cacete nesses pulhas.

  26. Mas esse é o risco de quem se deixa levar pelo discurso, Mário. Quando alguém me diz que é muito difícil escolher o candidato certo eu discordo e desenho: não sou o que digo ou dizem que sou; não sou nem mesmo o que penso ou pensam que sou. Sou o que faço. Só meus atos me definem. É inegável que o discurso da esquerda, como discurso, é muito mais atraente do que o da direita. A direita me oferece um ambiente de competição e mérito onde minha mão alcançará a altura que minha estatura permitir. Já a esquerda, ruim de matemática, afirma que fará os ricos dividirem sua fortuna com os pobres fazendo com que todos no planeta fiquem ricos. Mas um tantinho de QI e escola torna fácil a escolha: basta comparar as duas Coréias, a do Sul e a do Norte, e fica tudo muito claro.

  27. As universidades são a principal porta de entrada da desgraça esquerdista. Vejam a “revolução” ocorrida na UFBa nos anos 60, com professores estrangeiros chegando, financiados por quem? Fundação Ford e Rockefeller. É sempre na prostituição do trabalho intelectual que começa tudo.

  28. Grande artigo Mario .
    Quando é que os paises civilizados vão como a Polonia proibir registro dos partidos COMUNISTAS em seus paises pelo mal que causaram e causarão sempre!
    A mesma coisa para esses grupos de anormais que se alimentam da estupidez e ignorância que eles mesmos promovem! Ha que se dar um basta ao terrorismo cultural.

  29. Lá é como cá! Incrível como parece que esta descrevendo os grupelhos esquerdistas no Brasil! esquerda é mesmo uma merd@ em qualquer canto do mundo!

  30. Enquanto isso os EUA do reacionário, extremista Trump, alcança pela primeira vez na historia, a criação de mais vagas de emprego do que o numero de desempregados.

  31. Por isso a França está ficando na história. Ainda é rica e suas cidades recebem muitos turistas e dinheiro, mas até quando, pois esta esquerdalha comunista tem feito de tudo para assumir de uma vez aquele país, incluindo importar mulçumanos para acabar com a família tradcional cristã. É a mesma situação no Brasil, onde universidade, escolas de nível médio, etc, tomadas pelo gramcismo imbecil destes bandidos comunistas, fazem de tudo para destruir as bases civilizatórias do país.

  32. isso e uma peste no mundo, so enchem o saco, atrasam a vida dos outros, por isso nos EUA foram extintos, inclusive o kennedy que era meio canhotinho, pra evitar a tragedia ja cortaram o mal pela raiz, ai veio o obama, numa outra fase, com o mundo digamos globalizado e cheio de mimimi, triplicou a divida interna americana, ou seja, pra mim socialista e sinonimo de vagabundo, esse pessoal nao produz nada, nao evolui nada, enfim

  33. Não há diferença comportamental entre a esquerda francesa e a brasileira. Ambas são extremamente anacrônicas, adoram mamar nas tetas do Estado e lutam desesperadamente pela manutenção de privilégios indevidos.

  34. Todo esquerdista é um ser inútil, um peso pra sociedade. Essa caterva precisa ser extinta, ser expurgada de todos os setores, pois são representantes do atraso, da mentira, do gangsterismo puro e simples.

  35. ESSA SENAMA A ARGENTINA ENTROU NO SECULO XXII COM O NEO-LIBERALISMO.

    JUROS A 40% PEDINDO EMPRESTIMO PARA O FMI, ALEM DE DESEMPREBO BEM MAIOR QUE ANTES DO SEU GOVERNO.

    E MUITOS SUBSIDIOS ISENCOES DE IMPOSTOS E PERDAO DE DIVIDA DE GRANDES EMPRESARIOS ENQUANTO OS PEQUENOS EMPRESARIOS ESTÃO FALINDO.

    BEM VINDO AO FUTURO DA AMERICA LATINA !
    ( que esta sendo igual ao passado, alta inflacao, juros nas nuvens e diversas regalias ao empresariado sonegador. Sem falar em dever ao FMI e eles virem aos país ditar regras )

    VEM VINDOS AO SECULO XXII QUE QUEREM VENDER PARA OS IMBECIS.

    TANTO DIREITA QUANTO ESQUERDA E CENTRO SAO CORRUPTOS E LADROES NA AMERICA LATINA.

    SOMENTE NAO VE QUEM NAO QUER, OU É DO MEIO E GANHA ALGO, OU É BURRO MESMO.

    1. A Argentina, como o Brasil e o resto do mundo, sofre as consequências do populismo.
      O populismo promete e usa atalhos para melhorar a vida de muita gente por algum tempo, sacando contra o cheque especial. Foi o que Lula começou a fazer na metade do seu segundo mandato e Dilma aperfeiçoou em seus 6 anos no governo.
      Quando a conta do cheque especial começa a chegar, usam de fraude contábil para prolongar a ilusão por mais alguns anos.
      Finalmente, quando a situação fica insustentável, alguém consegue tirá-los do poder e assume a tremenda roubada de consertar o estrago.
      O que fazem os populistas? Gostosamente refestelam-se na oposição, dizendo que no seu governo tudo era melhor e, vejam vocês, o caos que o NOVO governo criou…
      Foram os Kirschners que destruíram a economia argentina!

    2. Os EUA é um país pai do capitalismo e nãotem muitos problemas como as economias latinas americanas.
      E a encrenca na Argentina tem a matriz muito anterior ao atual governo; pegar dinheiro do FMI é bem mais barato que pegar no mercado interno, como no nosso, por exemplo.