Feia à beça, com todo o ódio, meu amor

Hoje, São Paulo faz 462 anos. Parece ser mais interessante e divertido falar sobre São Paulo (e os paulistanos) do que viver em São Paulo. Por isso, selecionamos dez frases a respeito da cidade:

“São Paulo é feia. Ou melhor, é feia à beça”, Anthony Bourdain, chef e apresentador americano.

“Errar é humano, mas morar em São Paulo só pode ser coisa de brasileiro”, Ivan Lessa, escritor.

“O lugar mais esquisito onde já fiz amor? São Paulo”, Bussunda, humorista.

“Não faço auê, não faço carnaval, não faço social com os fãs. Eu sou paulista, meu amor”, Alessandra Negrini, atriz.

“Amo São Paulo, com todo o ódio”, Carlito Maia, publicitário.

“Por que nunca me contaram que existia isso aqui?”, Margaret Thatcher, estadista inglesa.

“As pessoas falam diferente. Parecem ter o que fazer. Ainda se pode viver sem o governo federal em São Paulo. Este é o segredo da cidade, do estado”, Paulo Francis, jornalista.

“Em São Paulo, constrói-se (ou se deixa construir) a vida; no Rio consome-se a vida (ou se deixa consumir)”, Paulo Mendes Campos, escritor.

“O encanto da cidade, o interesse que ela suscitava vinham primeiro de sua diversidade; ruas provincianas onde o gado retardava a marcha dos bondes; bairros deteriorados que sucediam sem transição às mais ricas residências; perspectivas imprevistas sobre vastas paisagens urbanas: o relevo acidentado da cidade e as defasagens no tempo, que tornavam visíveis os estilos arquitetônicos, cumulavam seus efeitos para criar dia após dia espetáculos novos”, Claude Lévi-Strauss, antropólogo francês.

“Só podia ser paulista”, um carioca indignado com um dos antagonistas que não quis saber de conversa com ele.

Faça o primeiro comentário