Jornalismo prazeroso

Jornalismo prazeroso
Foto: Reprodução/ TV Brasil

“A crise do jornalismo tradicional não pode ser explicada exclusivamente pelo fenômeno da disrupção digital, pelo emagrecimento da carteira de anunciantes e pela perda de leitores”, diz Carlos Alberto Di Franco.

“Sua raiz mais profunda está em equívocos na condução do noticiário e das coberturas. O problema, frequentemente, está no conteúdo.

Pesquisas, inúmeras, dão uma pista precisa: as pessoas estão cansadas do negativismo da imprensa. Ler jornal deixou de ser prazeroso. O negativismo permanente é uma forma de falsear a verdade. A vida, como os quadros, é composta de luzes e sombras. Precisamos denunciar com responsabilidade. Mas devemos, ao mesmo tempo, mostrar o lado positivo da vida.”

O Antagonista acabou de publicar que o Brasil superou a média de mil mortes diárias por Covid-19 e que vai faltar oxigênio líquido no Amazonas.

Ser brasileiro deixou de ser prazeroso.

Leia mais: Crusoé procurou psicólogos e psiquiatras para entender o comportamento do presidente à luz dessas ciências
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 67 comentários
TOPO