Justiça suspende PPP da iluminação em São Paulo

O juiz Alberto Alonso Muñoz, da 13ª Vara da Fazenda Pública, suspendeu o contrato da PPP (parceria público-privada) da iluminação da cidade de São Paulo.

Muñoz concedeu a liminar em ação popular movida em decorrência dos áudios envolvendo a então diretora do Ilume, Denise Abreu, que sugerem pagamento de propina pelo consórcio vencedor da licitação, o FM Rodrigues.

João Doria já havia demitido Abreu e suspendido a licitação, medida que o juiz considerou insuficiente –por isso a suspensão do contrato (de R$ 7 bilhões, com validade de 20 anos). Cabe recurso da sentença.

Mais lidas
  1. PDT acusa Bolsonaro de peculato por compra de leite condensado

  2. O Pazuello da Economia

  3. ENTREVISTA: Wilson Lima diz que Pazuello ajuda a 'agilizar demandas', mas que 'ainda falta oxigênio'

  4. O bolsonarista Eduardo Cunha

  5. Sobra leite condensado, falta transparência do governo

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 15 comentários
TOPO