Mães de colégio em Goiânia relatam pânico com ataque

O Globo ouviu mães de alunos do Colégio Goyases, onde um estudante matou dois e feriu outros quatro a tiros.

“Quando minha filha viu que eram mesmo tiros, saiu correndo da sala. Ela chegou a ver alguns colegas feridos e está muito abalada”, disse Carolina Matos, mãe de uma adolescente que estudava na mesma sala dos dois mortos.

Jane Martins, ao ver os alunos correndo, pensou que fosse um assalto dentro da escola. Ela conhecia o atirador de vista.

“Conseguimos entrar enquanto um menino saía baleado. Ele levou um tiro nas costas. Me desesperei. Minha filha e meu sobrinho estudam lá, eu achei os dois e coloquei dentro do banheiro.”

Juliana Gomes, irmã de Carolina Matos, diz que o atirador era visto como um jovem tranquilo –sua filha fazia aulas de violão com ele. “Nada indicou que ele pudesse fazer isso.”

 

 

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. As mães estranham, mas nunca sabem que seus filhos e filhas praticam bullying contra colegas. Que conversem com mães que tem filhos que sofrem do problema para ver a extensão do dano…

Ler mais 22 comentários
  1. As mães estranham, mas nunca sabem que seus filhos e filhas praticam bullying contra colegas. Que conversem com mães que tem filhos que sofrem do problema para ver a extensão do dano…

  2. Redução da maioridade já ou manicômio judicial pra esse aí. E a única coisa que pode parar um louco ou homicida armado com um revolver é uma pessoa de bem armada legalmente, com igual ou maior poder de fogo.
    “Guns don’t kill” https://youtu.be/seH3bsymNJ4
    É óbvio que a revogação do estatuto do desarmamento não envolve ceder armas para pessoas, jovens, idosos, adultos, que porventura tiverem problemas psicológicos. Existe toda uma técnica, um curso de tiro, e o fato de não poder ter antecedentes criminais, e um registro. Agora loucos também pegam carros por aí, e sem avisar pra ninguém, de surpresa, saem atropelando pessoas. O mesmo vale para facas. O mesmo vale para qualquer objeto que estiver ao alcance de mentes insanas. Isso só faz as pessoas de bem quererem armas para se defenderem de loucos e homicidas armados, seja através da posse ou do porte de armas. Isso é elementar. Vejam só a pesquisa que foi feita ao vivo na globo news, com manchetes tendenciosas. Os vídeos do Benê Barbosa, ou de jornalistas proeminentes da direita, e de alguns usuários do youtube, e alguns jornalistas gringos, inclusive Tucker Carlson, desbam falácias de congressistas esquerdistas ao vivo.

  3. Lá vem a mídia esquerdista reacender debates sobre posse de armas de fogo. Bando de hipócritas! 3o mil jovens são assassinados no Brasil todos os anos, COM TODA A PROIBIÇÃO VIGENTE. A maioria por armas de fogo. E o que se sabe é que a maioria dos assassinatos estão ligados ao crime organizado e acerto de contas. E todo mundo sabe que as armas nas mão de criminosos são ilegais. Portanto, que não me venham com churumelas, querendo transformas exceções em regra!

  4. No meu tempo de escola anos 70 e 80, nós os então alunos, nos jogávamos uns aos outros dentro dos latões de lixo da escola, dávamos socos uns nos outros, nos xingávamos de todos os nomes baixos possíveis, jogávamos besouros, sapos e ratos mortos nas meninas… e isto em uma escola marista. E nem por isto viramos psicopatas.
    Também nunca ouvi um pio de um aluno e colega quando era interpelado e questionado por um professor. Todos baixávamos os olhos e dizíamos SIM SENHOR, arrependidos. Hoje nos encontramos e damos boas risadas de tudo aquilo e principalmente damos VALOR AOS PROFESSORES QUE TIVEMOS, o que hoje não ocorre mais. E em boa parte por culpa dos próprios professores e seus métodos “revolucionários”. Mas isto era antes do esquerdismo e seus “paulosfreirismos” e demais lixos cerebrais contaminantes, acabarem com a educação no Brasil.
    Não deixa de estar aí uma parte do resultado: Brasil em frangalhos.

    1. Sim, você tem razão. Também sinto saudades das minhas professoras, que não faziam greves, ensinavam as matérias, mantinham a autoridade em sala de aula( com apoio de nossos pais) e, principalmente, jamais nos levariam a exposições com pornografia, como fizeram as canalhas de Porto Alegre.

  5. Rede Goebels aproveitando deitar e rolar, como sempre, mau caráter que é!
    O Fato é:
    Um professor ou inspetor de alunos, sabidamente armado, seria suficiente para dissuadir a simples ideia de tentativa de ataque!!!
    “Gun free zone” = aberração, certeza de “sucesso” para mentes psicopatas

  6. Essa noticia está igual aquelas reportagens em que o repórter faz as mesmas perguntas e o povo só fala o clichê de sempre.
    O Reporter deveria perguntar:
    -Mas o seu filho está dentre aqueles que faziam buylling com o rapaz?

  7. Nos anos 70 eu tinha uma professora de história que pedia para sala me isolar, e ainda me chamava de elemento neutro. Motivo? Porque questionava desde pequeno. Mas a resposta era sempre a mesma. Vai tomar no seu c, sua fdp. Fui algumas vezes na diretoria e quebrei o pau lá também. Resultado: Nunca mais a piranha abriu o bico, muito menos olhava na minha cara. Já no exato ano e 1985, eu tinha uma professora de história(de novo) que fazia propaganda para o suplicy na prefeitura de SP. Ela simplesmente não dava aula, só tentando fazendo a cabeça de todo mundo. Toda aula eu quebrava o pau, e alguns colegas se uniram com o mesmo objetivo. Resultado: Parou depois de 1 mês e no final do ano mudou de escola.