MP denuncia sócios da cervejaria Backer por contaminação

MP denuncia sócios da cervejaria Backer por contaminação

O Ministério Público de Minas denunciou à Justiça nesta sexta (4) 11 pessoas, incluindo os sócios-proprietários da cervejaria Backer, “por crimes cometidos em função da contaminação de cervejas fabricadas e vendidas pela empresa ao consumidor”.

O caso veio à tona em janeiro deste ano, quando a Polícia Civil começou a investigar a internação de vários consumidores após tomarem a cerveja Belorizontina, da Backer, com sintomas de intoxicação por dietilenoglicol.

Eles desenvolveram a síndrome nefroneural, que matou dez pessoas e deixou outras com problemas nos rins e sintomas como cegueira e paralisação facial.

Segundo o G1 Minas, os três sócios-proprietários da Backer foram denunciados por “corromper, adulterar, falsificar ou alterar substância ou produto alimentício destinado a consumo, tornando-o nocivo à saúde” (artigo 272 do Código Penal) e por infringir o artigo 64 do Código de Defesa do Consumidor, que obriga a comunicar às autoridades competentes a nocividade de um produto.

Outros sete denunciados, engenheiros e técnicos encarregados da fabricação da bebida, agiram com dolo eventual ao fabricar o produto sabendo que poderia estar adulterado, segundo o MP-MG. Eles foram denunciados por homicídio culposo e lesão corporal culposa, além do artigo 272 do CP.

Leia mais: Dias Toffoli: um retrato da pior presidência da história do Supremo Tribunal Federal
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Seja o primeiro a comentar
TOPO