"Não quero ser chamado de gay, porque sou um homem"

O estilista italiano Stefano Gabbana, em entrevista ao Corriere della Sera, disse que não quer mais ser chamado de “gay”.

Eis a sua explicação:

“Não quero ser chamado de gay, porque sou um homem. Acho inacreditável que ainda hoje se use esse termo. Biologicamente sou um homem: o mesmo vale para uma mulher, que é uma mulher e ponto final, além de qualquer coisa. A palavra gay foi inventada por quem tem necessidade de rotular e eu não quero ser identificado com as minhas escolhas sexuais.”

E ainda:

“Antes de ser gay, heterossexual ou bissexual, somos seres humanos.”

Nem todos os homens (e mulheres) são suficientemente inteligentes como Stefano Gabbana.

 

Comentários

  • Cubano -

    Ele é homem, que gosta de homem. Logo, homossexual. Sem rótulos, mas, socialmente identificável. Se uma amiga minha pede para conhecer ele, pois esta interessada, eu não falo, ele é um ser humano! Não! eu aviso a ela que ele, é homossexual . Pode não Arnaldo?

  • Marion -

    Engraçado. Estava eu em um cruzeiro da Atlantis, que exclusivamente gay, quando encontrei um rapaz que dizia a mesma coisa. O mais engraçado era ele tentando se explicar para parceiros sexuais impacientes que ele é homem, mas não quer ser chamado de gay. Resumo da história: férias frustadas.

  • Marcos -

    Ele não articula bem seus pensamentos, mas está certo. É uma parafilia estranha usar uma coisa tão superficial como fonte de identidade. Por acaso alguém chama o Cristiano Ronaldo de hétero, ou qualquer heterossexual de hétero??

Ler 97 comentários