Oprah Winfrey tira do ar entrevista com João de Deus

A apresentadora americana Oprah Winfrey retirou de seu canal na internet a entrevista que fez com João de Deus em 2012, em Abadiânia (GO).

O médium é acusado de abusar sexualmente de 78 mulheres. Além disso, como revelou O Antagonista ontem, sua própria filha o acusa de tê-la estuprado.

Oprah também excluiu de seu site um texto em que relatava como foi “positivo e inspirador” seu contato com o médium.

Uma campanha on-line feita por brasileiros pede que a apresentadora se posicione sobre o caso e a responsabiliza pela fama internacional obtida pelo curandeiro.

Os novos 'donos do poder': você precisa saber o que eles querem e o que estão dispostos a fazer. LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 41 comentários
  1. Isso me fez lembrar os farsantes Thomaz Green Morton (o home do rá!), famoso nos anos 80, e o tal guru Prem Baba, que abusou de várias mulheres. Ambos idolatrados por várias “celebridades”…

  2. Agora nenhuma celebridade nacional ou internacional conhece o cara. Botaram pilha no ego dele até explodir. A velha confusão de misticismo barato c/Espiritismo dá nisso. Estudem estrelas.

  3. O pior é a explicação q espíritas dão p/esses casos.:”porque na vida passada, as vítimas fizeram mal pro abusador”… Os espíritas disseram isso p/ uma amiga minha cuja filha sofreu abuso.

  4. Otário tem no mundo todo. Até a Oprah. Tudo ligado às religiões tem o mesmo endereço: o coitado do crente que é sempre enganado. A verdade é que a fé destrói as pessoas ingenuas…

    1. A fé destrói barreiras, e ajuda as pessoas a irem em busca do que querem. Você, deve ser um fracassado, e se arrepende hoje de não ter tido fé.

  5. Uma personalidade vai a um dito “medium”, faz uma consulta e sente-se bem, e sem saber que o tal “medium” fazia as escondidas, fala bem do mesmo, e um bando de imbecis vem culpa-la…menos moçada

    1. Não si vê um petista ou o pessoal dos “direitos humanos” apoiando estas mulheres. Cadê a turma da Maria da Penha?