Reforço no Ceará

O Ceará vai começar a receber no início desta semana o reforço de agentes penitenciários que atuarão nos presídios do estado, registra a Crusoé.

Por segurança, o número de agentes não é divulgado pelo Departamento Penitenciário Nacional, o Depen.

Leia a íntegra da nota abaixo:

Reforço nas penitenciárias do Ceará

O FIM DOS AMIGOS DA ONÇA NO PLANALTO. LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. O efeito DISSUASÓRIO, muito *importante* contra o crime, ninguém vê um preso, nem de longe; nem transferência de ninguém. O temor: estejam todos soltos. Não dá p confiar em petralha.

Ler mais 25 comentários
  1. O efeito DISSUASÓRIO, muito *importante* contra o crime, ninguém vê um preso, nem de longe; nem transferência de ninguém. O temor: estejam todos soltos. Não dá p confiar em petralha.

  2. O governador devia é contratar a CONFEDERAL, do senador Eunício Oliveira para tomar conta dos presos, como é para o Ceará, Eunício faria até um bom desconto no preço. Prestação de serviços!!

  3. Eu sou cearense e digo que o problema aqui é a ausência do Estado, quando começou os ataques Fortaleza foi tomada pela polícia então assaltos, assassinatos, tudo diminuiu drasticamente.

  4. até quando as forças armadas vão se omitir em relação à esses atos terroristas?aguardam,as orcrims entenderem que podem tudo e alastrarem o terror por todo o país.não é o pt que sofre é a po

  5. O que está acontecendo no Ceará é um problema nacional, por se tratar de fronteira de tráfico internacional. O que cabe ao estado, como a educação, está dando bons resultados, vide enem

  6. O governo brasileiro está inteiro PODRE, tomado pela corrupção e pela incompetência, um país cheio de AMARRAS, fadado ao atraso eterno. Reforma TRIBUTÁRIA já, redução e simplificação de imp

  7. É jogar dinheiro fora, se faz necessário mudança em nossa legislação tornando-a mais rigorosa como o cumprimento integral da pena sem saidinhas ou coitadismo, e o judiciário + ágil em suas deci