Rio: menino de 3 anos baleado na sala de casa tem morte cerebral

Acaba de ser confirmada a morte cerebral de Vitor Gabriel Matheus, de 3 anos, que foi baleado na cabeça, na noite de ontem, enquanto brincava na sala de casa em São João de Meriti, no Rio.

Parte da imprensa insiste em culpar a “bala perdida”.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

Ler mais 28 comentários
  1. É COM PESAR QUE LEMOS ESSA NOTICIA. MAS TA NA HORA DO POVO DO RIO PARAR DE SAMBAR E PRESSIONAR O GOVERNO FEDERAL PARA COLOCAR ORDEM NA CASA. NAO ESPEREM NADA DESSE PEZAO E SUA TURMA, MUITO MENOS SENTADOS NA PRAIA TOMANDO CAIPIRINHA.

    1. O povo do Rio gosta mesmo é de sambar. Pelo menos é disto que eles vivem se gabando. O orgulho carioca sempre foi a coisa do malandro, do esperto, do rato de praia, do jeitinho, das bundas, do futebol e do carnaval. Não por acaso é cantado em prosa e verso como “cidade maravilha, purgatório da beleza e do caos”. Nunca conheci quem levasse o Rio realmente a sério. Não adianta se ofenderem, quem se vende assim são os cariocas, mesmo. E mais: votam em quem? Pois é.

    1. Não sei se é inocência. Talvez faça parte do ideário carioca uma certa negação em prol do orgulho que a cidade prefere sentir. Destruir esta imagem seria como suicídio. Então, vamos à praia, churrasco na laje, culto no domingo, futebolzinho na areia, carnaval e o resto que todo mundo sabe.

  2. A baixada fluminense é um lixo! Mataram um monte de candidatos nas últimas eleicoes. Ou aceitam as quadrilhas ou morrem.
    Deixaram a delinquência correr tao solta, especialmente a partir do governo de Brizola e da chegada do PT e seus direitos dos manos, q agora é quase impossível acabar com ela.

  3. • É COMUM,
    • É NORMAL
    • É USUAL,
    • É HABITUAL,
    • É NATURAL,
    • É TRIVIAL,
    • É BANAL,
    • É CORRIQUEIRO,
    • É COSTUMEIRO,
    • É VULGAR
    • É REGULAR
    • É FREQÜENTE a MORTE de “gente” LATA de LIXO
    • É o PADRÃO da CORRUPÇÃO ROUBAR $$$$$$
    • DEIXAR o pó–OVO na MÃO dos BANDIDOS da BALA PERDIDA
    • A MORTE EVOCA MUITA FOFOCA nos CABEÇAS de MANDIOCA
    • A MORTE EVOCA MUITA FOFOCA nos CABEÇAS de MANDIOCA
    • A MORTE EVOCA MUITA FOFOCA nos CABEÇAS de MANDIOCA
    • A MORTE EVOCA MUITA FOFOCA nos CABEÇAS de MANDIOCA
    • A MORTE EVOCA MUITA FOFOCA nos CABEÇAS de MANDIOCA

  4. Tão comum e banal uma criança de 3 anos morrer baleada enquanto brinca na sala de casa…Que merd@ de pais é esse? Que merd@ de cidadãos somos todos nós? E ainda ficamos aqui criticando a Europa e EUA decadentes… Estou na fila para mudar para Marte! NASA, tou aqui!

    1. Pois é…nenhum grupo irá protestar na frente da Secretaria de Segurança Pública, do Palácio do Governo. Amanhã teremos outra vítima de ” bala perdida”.

  5. Enquanto a sociedade se conformar de que existem privilegiados que tudo podem, teremos muitos e muitos Vitors, João Hélios, tantos outros cujos nomes em lembramos mais! Triste nascer numa terra de tantas diferenças, de castas , de bandidos impunes!!

    1. Não entendi. A História do Brasil é esta. O Rio sempre foi uma bagaça completa. Só se achava chique na zona sul. O resto sempre foi um lixo. O Brasil é um esgoto desde que se instalou a corte portuguesa. O brasileiro vota em quem vota por quê? Os nossos políticos e os nossos filhos são o nosso retrato. Somos um poveco arrogante e marginal. Nosso Congresso é nosso retrato, as cadeias estão cheias de filhos da nossa barriga. Nos orgulhamos da barbárie e 80% aceita uma certa dose de corrupção para chegar a determinados objetivos ou conseguir alguns benefícios. Nós furamos a fila, se ninguém estiver olhando. Nosso QI é inferior. Estamos submersos na nossa limitação e achando que o mundo nos ama de verdade. Banalizamos tudo e nos horrorizamos hipocritamente para chamar a atenção sobre nós.

    1. Olha, só pra registrar…
      a criancinha baleada morava com a família num lugar chamado “buraco quente”, em São João de Meriti, município da violenta Baixada Fluminense, região metropolitana
      da “capitania hereditária” RJ.
      O resto é história.