'Se o mundo caminhar para o politicamente correto demais, vai ficar chato e complicado'

Após dois anos morando nos Estados Unidos, a atriz Gabriela Duarte voltou ao Brasil para atuar na novela Orgulho e Paixão, da Globo.

À Veja, ela disse que é “moderada” no que diz respeito ao feminismo. Gabriela afirmou, ainda, que simpatiza com a francesa Catherine Deneuve, que assinou um manifesto contra a histeria feminista no início deste mês.

“Entendi o que ela quis dizer. Existem papeis que a mulher gosta e precisa desempenhar. Nós não podemos descaracterizar nenhum dos dois movimentos, mas também não dá para levar tudo ao pé da letra.

Daqui a pouco, teremos de andar com um manual de comportamento. Se o mundo caminhar para o politicamente correto demais, vai ficar chato e complicado.”

Comentários

  • Atriz -

    Está faltando contexto, pessoal. Cultural e social. Assedio sexual na França, comparado com os US, é feito em escala leve tanto na forma quanto conteudo. Culturas muito diferentes. Nos US o movimento das mulheres de Hollywood, pouco interessante e narcisista, reflete uma cruel realidade na vida das mulheres da população geral, onde assedio sexual pode ser muito bruto. Antagonista, não é "histeria" feminina. É uma reação normal de quem já teve que se defender tendo poucas armas, em contextos difíceis, que geram uma raiva impotente enorme. Uma atriz tem voz pública, e pode se defender eficientemente - não o fez ou não o fará se não quiser. Uma operária, mãe de vários filhos, dependendo do magro salário para alimentar as crianças, não poderá reagir com força.

  • Daniela -

    Maravilha!!! Essa me representa!!! Saiu à mãe!!! Pelo menos, ainda tem gente boa na Globo.

  • Nelson -

    Isso sim é fala de uma mulher de verdade.

Ler 39 comentários