salvar

Marco Aurélio Mello e a porta dos fundos do STF

No Estadão, José Nêumanne se vale daquela liminar indecorosa de Marco Aurélio Mello, para escrever um artigo magistral sobre a raiz dos problemas no STF: a porta dos fundos do patrimonialismo exercido por meio do quinto constitucional e da Justiça trabalhista.

É preciso fechar essas porta.

Pedimos permissão para publicar o artigo na íntegra, lembrando que Nêumanne disse na cara de Marco Aurélio que não confiava no STF, durante uma entrevista do ministro no programa Roda Viva...

Ver mais
salvar

Em resposta aos suspeitos de sempre, magistrados apoiam Ives Gandra Filho

O ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, ex-presidente do TST, disse na semana passada o óbvio: que "não é a reforma (das leis trabalhistas) que está gerando insegurança, são os juízes que não querem aplicá-la”.

Ele afirmou ainda que a recusa desses juízes poderia causar um "suicídio institucional" da Justiça do Trabalho e elogiou a queda acentuada de ações trabalhistas que entopem os tribunais, graças à modernização da CLT.

Foi o bastante para que os suspeitos de sempre começassem a bater tambor e declarassem Ives Gandra Filho "persona non grata à magistratura trabalhista brasileira", por meio de um abaixo-assinado de "juristas" -- que inclui advogados, estudante de Direito, comerciário e até uma terapeuta holística...

Ver mais