Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Quem é Luana Araújo?

Saiba tudo sobre a infectologista que atuou como secretária do Ministério da Saúde por 10 dias e presta depoimento à CPI nesta quarta-feira
Quem é Luana Araújo?
Reprodução/TV BrasilGov/YouTube

A infectologista Luana Araújo presta depoimento à CPI da Covid nesta quarta-feira (2).

Ela atuou por 10 dias como secretária extraordinária de enfrentamento à Covid do Ministério da Saúde, mas sua nomeação não chegou a ser efetivada. A médica não aceitou determinações impostas pelo Palácio do Planalto.

Luana é crítica do uso de remédios sem eficácia comprovada contra a Covid e já se referiu ao uso de cloroquina contra a Covid como neocurandeirismo“.

Carreira

Luana Araújo se formou em medicina pela UFRJ, em 2006. No ano seguinte, iniciou sua residência médica em infectologia.

Ela passou a atuar como médica infectologista no Instituto Nacional Evandro Chagas, da Fiocruz, em 2009. No ano seguinte, começou a trabalhar para a Prefeitura do Rio de Janeiro.

Em 2017, Luana foi escolhida para comandar o Departamento Municipal de Controle de Infecções de Nova Mutum, no Mato Grosso.

A infectologista teve sua tese de mestrado aprovada na Universidade de Saúde Pública Johns Hopkins em 2020, ano em que prestou consultoria em saúde para o Banco Mundial.

Em 2021, Luana teve uma brevíssima passagem pelo Ministério da Saúde.

Posicionamentos sobre a pandemia

Luana Araújo já apontou diversas vezes os problemas no combate à pandemia da Covid no Brasil. Ela sempre afirmou abertamente que hidroxicloroquina não funciona contra a doença.

No Twitter, Luana já se referiu ao uso da substância como neocurandeirismo” e afirmou que o está Brasil na vanguarda da estupidez mundial.

Em entrevista ao jornal Estado de Minas, em janeiro, a médica afirmou:

 “As pessoas não sabem em quem acreditar: no político ou no cientista. No meio disso tudo, vira um salve-se quem puder.” 

Em entrevista publicada em fevereiro de 2021, no site da Universidade Johns Hopkins, Luana afirmou que já chegou a ser ameaçada de morte ao alertar sobre o fato de o medicamento amplamente sugerido pelo presidente não ter eficácia científica comprovada.

 Passagem pelo Ministério da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou no dia 12 de maio a nomeação de Luana Araújo para a Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid. O órgão tem o objetivo de centralizar as ações de combate à pandemia.

A infectologista trabalhou na função por 10 dias, até 22 de maio. Ela pediu exoneracão do cargo.

Em nota à imprensa, o ministério não explicou os motivos para a saída da médica.

“O Ministério da Saúde informa que a médica infectologista Luana Araújo, anunciada para o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, não exercerá a função. A pasta busca por outro nome com perfil profissional semelhante: técnico e baseado em evidências científicas. A pasta agradece à profissional pelos serviços prestados e deseja sucesso na sua trajetória.”

Na verdade, Luana Araújo não aceitou determinações impostas pelo Palácio do Planalto e abriu mão do cargo. Sua nomeação nem sequer chegou a ser oficializada.

Histórico

2001 – Luana Araújo ingressa no curso de medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

2006 – Conclui o curso de medicina.

2007 – Luana inicia sua residência em infectologia .

2009 – A médica passa a atuar na área de doenças infecciosas no Instituto Nacional Evandro Chagas.

2010 – Luana começa a trabalhar como infectologista na Prefeitura do Rio de Janeiro.

2017 – A médica atua como chefe do Departamento Municipal de Controle de Infecções de Nova Mutum, no Mato Grosso.

2020 – Luana tem sua tese de mestrado aprovada na Universidade de Saúde Pública Johns Hopkins.

A infectologista presta consultoria em saúde para o Banco Mundial.

2021 – Luana Araújo é nomeada para a Secretaria Extraordinária de enfrentamento à Covid do Ministério da Saúde, mas não chega a a ser efetivada. Ela atuou por 10 dias no posto.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO