Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Saiba tudo o que disse José Ricardo Santana à CPI

O ex-secretário da Anvisa negou que tenha presenciado pedido de propina no jantar entre Dominguetti e Roberto Dias em 25 de fevereiro
Saiba tudo o que disse José Ricardo Santana à CPI
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O ex-secretário da Anvisa José Ricardo Santana prestou depoimento à CPI da Covid nesta quinta-feira (26). Ele foi um dos participantes do jantar entre Roberto Dias e Luiz Paulo Dominguetti em 25 de fevereiro.

Santana negou que tenha ocorrido pedido de propina no encontro.

O depoente se recusou a dizer a verdade, foi transformado em investigado e não explicou por que abandonou um salário de R$ 35 mil na Anvisa para trabalhar de forma informal e não remunerada no Ministério da Saúde.

Saiba tudo o que disse José Ricardo Santana à CPI:

Passagem pelo Ministério da Saúde

  • José Ricardo Santana disse que trabalhou para o Ministério da Saúde de maneira informal, sem receber.
  • Ele alegou que, após deixar a Anvisa em março de 2020, foi convidado por Roberto Dias para integrar o ministério.
  • O depoente disse que abandonou um salário de R$ 35 mil para assumir uma função não remunerada na pasta.
  • Para senadores da CPI, Santana começou a trabalhar na Saúde depois de ser apresentado ao lobista Marcony Albernaz, em um jantar em 23 de maio de 2020. O encontro teria ocorrido na casa da advogada Karina Kufa, que defende Jair Bolsonaro.

Nise Yamaguchi

  • No Ministério da Saúde, Santana disse ter conhecido integrantes do “gabinete paralelo” da Saúde, como Nise Yamaguchi.
  • Ele negou que tenha discutido com a oncologista a venda de testes rápidos de Covid, como suspeitam senadores da CPI. Os integrantes da comissão suspeitam que os testes seriam fornecidos pela Precisa Medicamentos.
  • O depoente afirmou que teve encontros com Nise no ano passado, mas discutiu apenas “a retomada da economia”.

Jantar de 25 de fevereiro

  • José Ricardo Santana afirmou que o jantar com Roberto Dias em 25 de fevereiro de 2021 foi um “encontro social”. O depoente disse que foi ao restaurante Vasto, em um shopping de Brasília, com o colega para tomar um chopp. Senadores suspeitam que eles tenham ido ao local para comemorar a assinatura do contrato da Precisa Medicamentos com o Ministério da Saúde para a venda da Covaxin.
  • Segundo Santana, o representante da Davati Luiz Paulo Dominguetti e o ex-assessor do Ministério da Saúde Marcelo Blanco chegaram ao local por acaso.
  • O depoente negou que Roberto Dias tenha pedido de propina durante o jantar, como acusou Dominguetti.

Precisa

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO