Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Saiba tudo o que disse o representante da Davati à CPI

Cristiano Carvalho contradisse os depoimentos de Roberto Dias e Luiz Paulo Dominguetti e admitiu que foi informado sobre o pedido de propina na negociação por vacinas
Saiba tudo o que disse o representante da Davati à CPI
Foto: Pedro França/Agência Senado

O representante da Davati Cristiano Carvalho prestou depoimento à CPI da Covid nesta quinta-feira (15).

Ele contradisse uma série de declarações de Luiz Paulo Dominguetti, que tentava vender imunizantes em nome da empresa, e afirmou que foi procurado insistentemente pelo diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, antes do jantar em que teria ocorrido o pedido de propina.

Carvalho disse que o reverendo Amilton de Paula “abriu as portas” do governo para a Davati e prometeu um café da manhã com Jair Bolsonaro e a bancada evangélica.

Saiba tudo o que disse o representante da Davati à CPI:

Atuação de Luiz Paulo Dominguetti

  • Cristiano Carvalho disse que foi procurado por Luiz Paulo Dominguetti no dia 10 de fevereiro e que, até então, não o conhecia, contradizendo o ex-cabo da PM, que disse em depoimento que foi designado pela Davati para intermediar as negociações de imunizantes.
  • O depoente contradisse mais uma vez Dominguetti, ao afirmar que não é CEO da empresa e que sempre se apresentou como um simples representante informal. Ele disse que não confia em Dominguetti.
  • O depoente afirmou que a Davati nunca pagou despesas de hospedagem de Dominguetti.

Contato com Roberto Dias

  • Cristiano Carvalho disse que foi procurado pelo diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, em 3 de fevereiro, três semanas antes do jantar em que teria ocorrido o pedido de propina.
  • Segundo o representante da Davati, Dias lhe enviou duas mensagens perguntando sobre os imunizantes e pedindo retorno.
  • O depoente ainda disse que recebeu ligações do servidor, mas não as atendeu.
  • Carvalho afirmou que, em nenhum momento, recebeu diretamente pedido de propina de Dias.

Pedido de propina

  • Cristiano Carvalho disse que foi informado sobre o pedido de propina de US$ 1 por dose logo após o jantar entre Luiz Paulo Dominguetti, Roberto Dias e Marcelo Blanco, ex-assessor do Delog, no dia 25 de fevereiro.
  • O representante da Davati disse que o pedido partiu “do grupo de Blanco”.
  • Segundo Carvalho, Dominguetti disse que não se falou em propina, mas em comissionamento”.

Reunião com Elcio Franco

Reverendo Amilton de Paula

Áudio de Luis Miranda

  • Cristiano Carvalho disse que Luiz Paulo Dominguetti reproduziu o áudio de Luis Miranda em seu depoimento à CPI de forma absurda e equivocada. Na ocasião, o ex-cabo da PM deu a entender que o parlamentar estava intermediando a venda de vacinas com a Davati, quando, na verdade, falava sobre luvas cirúrgicas na gravação, feita em setembro de 2020.
  • O representante da Davati disse que o áudio de Miranda foi enviado originalmente a outro representante da empresa.
  • O depoente afirmou que repassou o áudio a Dominguetti depois que o deputado esteve na comissão apenas para demonstrar que o deputado era “muito enfático”.
  • Carvalho alegou que, quando percebeu que Dominguetti havia reproduzido o áudio na CPI, tentou alertá-lo de que estava equivocado, mas não conseguiu.

Mensagens de Dominguetti

  • Cristiano Carvalho minimizou as citações a autoridades como Michelle Bolsonaro em trocas de mensagens de Luiz Paulo Dominguetti. O ex-cabo da PM disse ao reverendo Amilton, em 3 de março, que a primeira-dama havia entrado no circuito”.
  • Segundo o depoente, o envolvimento de Michelle é folclore.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO