Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Saiba tudo sobre o caso Lázaro Barbosa

Relembre a cronologia das buscas pelo maníaco, morto nesta segunda-feira após 20 dias foragido
Saiba tudo sobre o caso Lázaro Barbosa
Foto: Divulgação/PMDF

Morreu nesta segunda-feira (28) o assassino Lázaro Barbosa. Ele teria sido baleado durante uma troca de tiros com policiais.

O criminoso era procurado havia 20 dias, desde que matou uma família inteira em Ceilândia, no Distrito Federal, no dia 9 de junho. Ele se escondia em matas da região.

Mais de 270 agentes das forças de segurança de Goiás, DF e federais participaram da operação.

Quem foi Lázaro Barbosa?

Lázaro Nasceu na cidade de Barra do Mendes, na Bahia, em 1989. Aos 20 anos, cometeu o primeiro crime do qual se tem conhecimento, quando foi condenado pelo assassinato de duas pessoas. Ele disse que foi motivado por uma briga.

O maníaco ficou preso durante alguns meses, mas fugiu em 2009. No mesmo ano, foi para Brasília. Lá, ele e seu irmão, Deusdete, que morreu há cinco anos, invadiram uma chácara, renderam uma família e estupraram uma jovem de 19 anos.

Ainda em 2009, Lázaro voltou a ser preso. Dessa vez, no Complexo Penitenciário da Papuda.

Em 2013, um laudo psicológico apontou que o maníaco tinha possibilidade de “ruptura do equilíbrio” e que teve o desenvolvimento psicossocial prejudicado. No ano seguinte, a prisão de Lázaro foi convertida em regime semiaberto. Em 2016, ele fugiu.

Em 2018, o maníaco foi preso em Águas Lindas, em Goiás. Na época, tinha três mandados de prisão em aberto. Meses depois, ele conseguiu fugir mais uma vez.

Em 2020, o criminoso invadiu uma chácara em Brasília e agrediu idosos. Ele deu uma machadada na cabeça de um deles. Lázaro foi indiciado por tentativa de latrocínio.

Em abril de 2021, antes de ganhar os holofotes, Lázaro fez mais uma família refém e estuprou uma mulher em Sol Nascente, no Distrito Federal.

Em junho de 2021, assassinou uma família em Ceilândia. O episódio deu início as buscas policiais que terminaram com sua morte.

Cronologia:

9 de junho – Lázaro mata uma família inteira em Ceilândia. Claudio Vidal, de 48 anos, e seus filhos Eduardo Marques Vidal, de 21, e Gustavo Marques Vidal, de 15, foram encontrados mortos na chácara em que moravam. Cleonice Marques, a mãe, é sequestrada. Polícia divulga fotos do maníaco.

10 de junho – Lázaro invade uma outra chácara, na região do Incra 9, e mantém Sílvia Campos, de 40 anos, como refém sob a mira de um revólver por mais de três horas. O psicopata confessou a ela que foi o responsável pelo homicídio da família no dia anterior. Mais tarde, Lázaro invade outra chacára na região, faz um funcionário refém e rouba um carro. Ele segue dirigindo para Cocalzinho (GO) onde ateia fogo no veículo.

12 de junho – Corpo de Cleonice é encontrado nas proximidades de um córrego. Lázaro invade uma residência em Cocalzinho de Goiás, baleia três pessoas, rouba duas armas de fogo, munições e troca tiros com a polícia.

13 de junho – Mais 200 policiais e 50 viaturas do Distrito Federal e de Goiás se unem às buscas e montam uma base no trevo de Cocalzinho. O maníaco furta um novo carro e o abandona após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.

14 de junho – Lázaro troca tiros com um caseiro de chácara localizada em Edilândia (GO) e fica ferido.

15 de junho – Lázaro invade uma nova chácara, em Edilândia. Lá, faz três reféns. A polícia vai até o local e acaba trocando tiros com o criminoso em uma mata. Um PM foi baleado de raspão no rosto. Lázaro solta os reféns e consegue fugir.

16 de junho – A polícia troca tiros com Lázaro mais uma vez. Rodney Rocha Miranda, secretário de Segurança Pública de Goiás, diz que Lázaro Barbosa pode estar ferido.

22 de junho – Um carro incendiado é encontrado próximo à Gruta dos Ecos, na saída do distrito de Girassol, sentido Cocalzinho de Goiás (GO). Veículo pode ter sido usado por Lázaro.

24 junho – Dois homens são presos suspeitos de ajudar Lázaro na fuga. Um deles estava com as armas que Lázaro roubou em Cocalzinho. Eles foram identificados como Elmi Caetano Evangelista e Alain Reis de Santana — um fazendeiro e um caseiro, respectivamente. Lázaro teria dormido cinco noites na propriedade deles.

25 de junho – Caseiro é liberado, mas o fazendeiro é mantido preso.

28 de junho – Lázaro é encontrado e morto pelos policiais. O maníaco teria sido baleado durante troca de tiros.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO