A SEMANA EM 5 PONTOS: Depois do tsunami, não vem a calmaria

Confira os principais destaques da semana em 5 pontos (assista ao vídeo abaixo):

1) A semana começa com 9 medidas provisórias na pauta da Câmara e com risco de perderem a validade.

Talvez a que mais preocupe o governo seja a MP 870, que trata da reforma administrativa.

Rodrigo Maia disse que não vai deixar a medida caducar. Vale lembrar que depois de passar pela Câmara, a MP ainda precisará ser analisada no plenário do Senado.

2) Mais uma semana de audiências públicas na comissão especial da reforma da Previdência na Câmara.

O prazo de apresentação de emendas, que venceria amanhã, terça-feira, deverá ser estendido até o dia 30 deste mês.

O deputado Marcelo Ramos, presidente da comissão especial, disse ontem que não será apresentado um texto novo para a reforma, mas que, como esperado, a proposta da equipe econômica sofrerá mudanças significativas.

3) Apoiadores de Jair Bolsonaro convocaram para o próximo domingo, dia 26, manifestações a favor do governo, do próprio presidente e de outras pautas, como a MP da reforma administrativa, o pacote anticrime e a reforma da Previdência.

Grupos como o MBL e o Vem Pra Rua, porém, anunciaram que não vão participar das manifestações.

A União Nacional dos Estudantes (UNE), por sua vez, convocou novos protestos contra o contingenciamento na educação para o dia 30.

4) Na quarta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara poderá aprovar o relatório do deputado João Roma sobre a reforma tributária proposta por Baleia Rossi, líder do MDB.

Como noticiamos na semana passada, há um movimento forte na Câmara para tentar aprovar essa reforma tributária, que nasceu no parlamento, antes da reforma previdenciária.

5) De resto, vamos continuar acompanhando a relação entre o governo e o Congresso.

Onyx Lorenzoni, segundo o líder do Podemos, José Nelto, deve se reunir esta semana, mais uma vez, com líderes partidários e de bancadas.

No Senado, Omar Aziz, que preside a Comissão de Assuntos Econômicos, promete apresentar um requerimento, como antecipamos, para que Jair Bolsonaro explique e detalhe as críticas que tem feito ao Congresso.

Bom dia e boa semana.

A ESTRATÉGIA PARA FAZER A "NOVA POLÍTICA" SE CURVAR À "VELHA POLÍTICA". Leia aqui

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler comentários
  1. Marcelo disse:

    Deixa de ser burro, tsunami nada tem a ver com clima.

  2. LinaDRZ1TE disse:

    Manifestação em apoio ao dólar acima de 4 reais, gasolina 5 reais e desemprego subindo.

  3. Kalá disse:

    E o crime é o do sequestro continuado : nada anda. Dia 26.

  4. Reinaldo disse:

    Omar Aziz corre um enorme risco se der voz a Bolsonaro em rede nacional, pode ser o fim desta legislatura no parlamento. Melhor repensar.

  5. direitomaisdireito disse:

    Mais uma semana sem notícias sobre a DELAÇÃO DO PALOCCI. Pelo visto essa delação que foi tão incensada pelos Antagonistas no começo do ano era fake news para conseguir cliques para o site.

  6. TICO disse:

    Parece que os esquerdopatas querem bagunçar a quinta feira. Já que não tem dinheiro para pagar os mortadelas vão depender dos funcionarios publicos. Lebramos que quinta feira todos trabalham, ou

  7. Renato disse:

    Estamos na seguinte situação. Não há meio termo. Ou se está com Bolsonaro ou se está com o Centrão. Não há meio termo.

    1. Kkkk. Conversa pra boi dormir e pra apoiar Jair no dia 26. Fique com essa sua lógica torta. não estou com centrão nem com Jair, quero mais é que renuncie.

  8. BRaZiLeiReiRo disse:

    A tendência agora é ladeira abaixo; governo entrou em colapso! Temos que separar o que é Estado e Governo!Rápido.

    1. Cai não. Parte do Sistema está com Bolsonaro. Este jogo vai durar. E talvez mudar parte do Sistema, o que já seria vitoria do POVO.