Entrevista | Miguel Nagib, fundador do movimento Escola Sem Partido (íntegra)

Felipe Moura Brasil entrevistou Miguel Nagib, fundador do movimento Escola Sem Partido, para O Antagonista.

Confira a íntegra.

Entrevista | Miguel Nagib, fundador do movimento Escola Sem Partido 37:09

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Pra completar meu comentário, precisamos mesmo de fazer um esforço pra neutralizar ao menos um pouco as relações entre pessoas no Brasil, incluindo adolescentes, jovens e coroas. A esquerda brasileira conseguiu entrincheirar grupos de indivíduos em escolas, universidades e na sociedade em geral. De repente isso sai do controle. Nunca tivemos guerra civil por aqui nem queremos ter. Tá passando da hora de botar ordem na casa….

Ler mais 12 comentários
  1. Pra completar meu comentário, precisamos mesmo de fazer um esforço pra neutralizar ao menos um pouco as relações entre pessoas no Brasil, incluindo adolescentes, jovens e coroas. A esquerda brasileira conseguiu entrincheirar grupos de indivíduos em escolas, universidades e na sociedade em geral. De repente isso sai do controle. Nunca tivemos guerra civil por aqui nem queremos ter. Tá passando da hora de botar ordem na casa….

  2. Sizenando, se você tiver a minha idade e tiver vivenciado o contexto político dos anos sessenta irá concordar comigo que o Prof. Paulo Freire tinha uma missão …. que foi frustada pela intervenção militar de 1964. Estou certa de que os avanços sociais no campo após essa intervenção neutralizaram a ação desse superconhecido mestre, a quem restou deixar o país e construir lá fora, entre pessoas que não conheciam nada da evolução do Brasil, uma imagem mitológica e quase santa….Mas o Brasil foi em frente e se desenvolveu satisfatoriamente, até os políticos tomarem conta dos destinos dos nossos recursos e do nosso dinheiro .
    O declínio das ciencias humanas tornou comum os acadêmicos falarem FORA TEMER durante a defesa de qualquer tema de suas teses e dissertações. LAMENTÁVEL!

  3. As escolas brasileiras públicas, principalmente, viraram guetos controlados pelos professores funcionários públicos, a quem caberia aplicar os princípios da escola sem partido, extraídos simplesmente da nossa constituição. Em vez disso, fundamentam seus conhecimentos e ensinamentos na ideologia de esquerda, sentindo-se prorietáriuos das mentes e inteligencias de crianças e jovens que subjugam em sala de aula. Na escola pública isso é um fato concreto e verificável. Como constatado pelo IPEA em recente pesquisa nas bibliotecas das universidades públicas brasileiras, apenas 1 dos 11 livros existentes não é de esquerda. Aonde iremos parar? Existe de fato um projeto público nacional de esquerdizar as gerações atuais e futuras?

  4. aguentei acompanhar a entrevista por 15 minutos e 26 segundos. em nome de defender a educação, um cidadão articula um discurso baseado em subjetivismos e generalizações – sem contar a menção irresponsável e desrespeitosa a Antonio Gramsci e Paulo Freire.
    o entrevistado defende um projeto de lei (?) que incluiria em salas de aula um cartaz com 06 orientações para guiar os professores com o objetivo de “proteger” os alunos de doutrinação política ou mesmo de desrespeito a suas crenças religiosas – tais práticas seriam sistêmicas e generalizadas entre grande parte dos professores. os itens são um conjunto de obviedades desnecessárias.
    a tv antagonista faria melhor reunindo o entrevistado a educadores e outros profissionais do ensino em mesa redonda para analisa os rumos da educação no país.

  5. O Miguel sempre se refere ao professor como um funcionário público, mas o projeto Escola sem Partido vale para todo o magistério, público e privado.

  6. SURGIRO AOS ALUNOS QUE SOFREM DOUTRINAÇÃO EM SALA DE AULAS DESSE TIPO, GRAVEM AS AULAS E COLOQUE NO YOUTUBE PARA QUE TODOS VEJA O ABUSO!!!! E MOSTREM QUEM É O PROFESSOR!!!

  7. A doutrinação dos futuros professores é feita também pela INDISPONIBILIZAÇÃO de títulos tais como MAQUIAVEL PEDAGOGO, de Pascal Bernardin: a UNICAMP não dispõe de um único volume!!!!!!!

  8. EU SOU PROFESSOR E CONFIRMO QUE É ISSO MESMO QUE OCORRE NA ESCOLA PÚBLICA QUE É UM CONDICIONAMENTO IDEOLÓGICO.

  9. A doutrinação nas escolas corria solto a décadas – vide surto gramscista de teses na década de 80. Aí surgiu Miguel Nagib, que teve força , coragem e determinação para tirar as militância esquerdista que parasitam o sistema de ensino de sua cômoda situação de conforto. Devemos estar a pelo menos a três gerações de estudantes sendo maciçamente doutrinada pela esquerda. Creio que atingimos o ponto de inflexão. Não doutrinarão mais sem responder pelos seus atos.
    O que me espanta é que o CNMP e o CNJ não se manifestam contra o abuso de promotores, procuradores, juízes e desembargadores a favor da militância e agenda esquerdista.
    O aparelhamento foi gigantesco. Sempre é tempo de reagir contra o Mal. Tudo e todos que se opõe ao Livre Arbítrio não prevalecerão: Serão inescapávelmente derrotados.

Os comentários para essa notícia foram encerrados.