ACESSE

VÍDEO: A reunião dos cybermortadelas

Telegram

Em vídeo, coordenador da rede de cybermortadelas explica pagamentos.

Bruno Nolasco foi assessor do deputado Miguel Corrêa Júnior, afilhado político de Fernando Pimentel e responsável pela guerrilha digital.

Comentários

  • Antonio -

    É interessante uma denúncia para o MPT, pois cabe vínculo de emprego com subordinação, onerosidade e jornada. Olha vale a pena

  • Vitoria -

    Alguém duvida que as tais pesquisas com o PRESO liderando com 40% tb são pagas??? Fraude total. Tudo que o PT faz é criminoso. Cadê o TSE e a PF???

  • Desconfiado -

    E ainda dizem que maconha não prejudica, imagina junto da esquerda. Se esse povo trabalhasse saberia pelo menos os dias do mês.

Ler 45 comentários