Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Alcolumbre se diz triste com cobranças e promete sabatina de Mendonça na próxima semana

Presidente da CCJ do Senado anunciou disposição em fazer as audiências com autoridades com indicações pendentes, mas não definiu datas e horários
Alcolumbre se diz triste com cobranças e promete sabatina de Mendonça na próxima semana
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

A sessão da CCJ do Senado destinada ao início da discussão da PEC dos Precatórios começou com o presidente do colegiado, Davi Alcolumbre (foto), reclamando de estar sendo cobrado para pautar a sabatina de André Mendonça, indicado por Jair Bolsonaro a uma vaga do STF.

O senador pelo Amapá se disse “muito triste” com a situação. Há mais de quatro meses, Alcolumbre está sentado em cima da indicação feita pelo presidente.

Ele anunciou que há oito senadores interessados em relatar a indicação de Mendonça. Em razão disso, será feita uma reunião para se tentar chegar a um consenso. Alcolumbre sinalizou que poderá pautar essa indicação e a de outras nove autoridades na próxima semana, em um “esforço concentrado” convocado por Rodrigo Pacheco.

Mas, em momento algum, Alcolumbre definiu datas e horários.

Ele insistiu que cabe a ele, como presidente, fazer a pauta do colegiado.

“Porque, senão fosse assim, o Senado Federal poderia fazer as pautas do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de Justiça, dos tribunais regionais. Cada um faz a sua pauta, cada presidente tem autonomia e autoridade conferida para fazer a pauta e a agenda que é necessária.”

Alcolumbre acrescentou que, com a cobrança, tem se sentido “ofendido pessoalmente, na minha família e na minha religião”. Alcolumbre é judeu. Mendonça é o “terrivelmente evangélico” de Bolsonaro.

“Chegaram ao cúmulo de levantarem a questão religiosa sobre a sabatina de uma autoridade. (…) Um judeu perseguindo um evangélico? Essa narrativa chegou ao meu estado. Eu tenho uma relação com todas as igrejas. O Estado brasileiro é laico, está na Constituição.”

Vários senadores se manifestaram sobre o tema na sessão ainda em andamento.

Esperidião Amin (PP) deu um pito em Alcolumbre, chamando-o de “súdito rebelde” por estar desrespeitando o regimento do Senado pela demora na sabatina de Mendonça. Amin falou em “contravenção ao regimento” e acrescentou que seu protesto contra Alcolumbre não é “religioso, político ou pessoal”. “Eu desejo e cobrarei ostensivamente o cumprimento do regimento, que está sendo descumprido”.

Assista:

Mais notícias
TOPO