Coordenador de UTI em Manaus alerta: "Não é falta de tratamento precoce. A segunda onda é devastadora, cruel"

Coordenador de UTI em Manaus alerta: “Não é falta de tratamento precoce. A segunda onda é devastadora, cruel”
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O médico intensivista Anfremon Monteiro Neto, coordenador da UTI do Hospital Getúlio Vargas, em Manaus, gravou um vídeo de alerta sobre a insistência do governo Bolsonaro no tratamento precoce.

Ele diz que atende cerca de 50 pacientes por dia e todos já fizeram tratamento precoce, seja com azitromicina, ivermectina, hidroxicloroquina ou corticoides. Não adianta.

Não é falta de tratamento precoce. É sacanagem com a gente que trabalha aqui, que trabalha sério e está tentando fazer alguma coisa. Em vez de ficar fazendo manobras evasivas, o governo tem que preparar o país para a segunda onda. Se preparem, porque ela é devastadora, ela é cruel e vai levar muita gente.”

Leia mais: Quem são os diretores da agência que darão o veredicto sobre as vacinas a serem aplicadas nos brasileiros
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO