ACESSE

ENTREVISTA: "A ideia não é arrecadar mais dinheiro com a reforma tributária", diz assessora especial de Paulo Guedes

Telegram

Assessora especial de Paulo Guedes, a advogada tributarista Vanessa Rahal Canado afirma que a proposta de um imposto único (CBS) com alíquota de 12% não vai impactar na carga tributária e garante que o texto entregue ao Congresso não tem o objetivo de cobrir o rombo nas contas públicas provocado pela pandemia da Covid-19.

“A ideia não é arrecadar mais dinheiro com a reforma tributária, mas o Brasil não tem condições de abrir mão da arrecadação. A gente pode é arrecadar melhor”, diz.

Em entrevista a O Antagonista, ela rebate as interpretações de que o texto apresentado ao Congresso Nacional poupa setores importantes da base do governo, como o agronegócio e as igrejas, assim como os bancos.

Responsável pelo grupo de trabalho da reforma tributária, Vanessa Canado afirma também que a tributação sobre o consumo, embora não seja o ideal, “é natural em países em desenvolvimento”.

“A gente não pode comparar o quanto o Brasil tributa o consumo versus a renda com países da OCDE, que são países ricos. A gente tributa mal, tem espaço para equalizar, mas somos um país pobre.”

Assista à íntegra da entrevista ao Gabinete de Crise de ontem à noite:

Leia mais: Diogo Mainardi: 'Em vez de derrubar Bolsonaro, Gilmar Mendes vai domá-lo e cavalgá-lo até 2022'

Comentários

  • Enilze -

    As falas desse governo são como as do PSDB que mudava os nomes para nos enganar. Estão mantendo a carga tributária, só estão repassando todo o ônus para o trabalhador.

  • Luiz -

    Só faz sentido uma reforma tributária se for para reduzir impostos, certo?

  • Salvador -

    Palhaço!! Eu pago 185.000/mês de Pis/COFINS. Com esta reforminha, que não é para aumentar impostos, de acordo com este palhaço, passo a pagar 600.000!!!

Ler 35 comentários